quarta-feira, 31 de janeiro de 2018

Fortaleza: Dono de bar e morto por não aceitar bandidos comercializarem drogas n

O dono de um bar localizado no bairro Novo Iguape, em Aquiraz, foi morto na manhã desta quarta-feira (31), na frente de seu estabelecimento. A vítima, ainda não identificada, teria sido alvo de uma facção. JPolícia Civil, a execução aconteceu após o homem não permitir que a organização comercializasse drogas no estabelecimento.

Duas outras vítimas, aparentemente clientes do local, também foram feridas durante a ação. Um outro homem também morreu ainda no local. Já o terceiro baleado chegou a ser socorrido e segue hospitalizado com quadro de saúde estável no Instituto Doutor José Frota (IJF), em Fortaleza.
Durante entrevista concedida na tarde desta quarta-feira (31), um inspetor da Delegacia de Aquiraz afirmou que, de início, não foi identificado que nenhuma das três vítimas tivesse ligação com qualquer facção. O policial informou que o grupo responsável pela ação ainda não havia sido identificado.

“Nós recebemos informações que uns quatro suspeitos participaram dessa ação. Estamos em diligências e buscando confirmar cada informação que os populares deram. Todos os moradores disseram que essas vítimas eram cidadãos de bem, sem vínculo nenhum com tráfico dessa região”, afirmou o inspetor.








terça-feira, 30 de janeiro de 2018

NÚMERO DE AGENTES PENINTENCIÁRIOS NO CEARÁ É DEFICITÁRIO

140 presos morreram nos presídios do Ceará em 4 anos


Em maio de 2016, mês quando 18 internos foram mortos em rebeliões ocorridas nas unidades prisionais da Região Metropolitana de Fortaleza (RMF), a Secretaria da Justiça e Cidadania do Estado (Sejus) admitiu a primeira transferência emergencial de detentos ameaçados. Desde então, presídios e cadeias do Ceará se tornaram local propício para a prática de crimes de faccionados aliados.


Ao mesmo tempo em que de dentro das unidades prisionais partem as ordens de ataques em vias públicas e determinações de quem deve viver ou morrer, os internos ganham força e percebem as brechas para a imposição de exigências. Nos últimos meses, a ordem mais comum de detentos é a separação de presídios por organização criminosa.


Quando duas facções rivais dividem o mesmo espaço, o risco de morte é iminente. Em parte, o número de, pelo menos, 140 assassinatos dentro das unidades prisionais do Estado contabilizados pela Secretaria da Segurança Pública e Defesa Social (SSPDS), de 2013 até 2017, se deve a essa guerra interna.


Horas após a nova chacina registrada no Estado do Ceará, desta vez em Itapajé, o presidente do Conselho Penitenciário (Copen), Cláudio Justa, afirmou que a matança já era algo previsto e conversado entre os órgãos vinculados à Sejus.


Conforme Justa, a guerra instalada na Cadeia Pública de Itapajé foi em retaliação à barbárie provocada nas Cajazeiras pela Guardiões do Estado (GDE). Para o Copen, o Governo do Ceará errou no diagnóstico ao traçar ações e subestimou a força das organizações dentro e fora das penitenciárias.

\"Nós lamentamos muito. Avisos não faltaram da nossa parte. Essa chacina foi um processo que já estava sendo estabelecido no Estado. Na Grande Fortaleza, as facções já estão divididas, e isso diminui o risco de confronto. A Sejus precisa fazer um trabalho de remanejamento, mas não há vagas suficientes para essa separação. A tendência é que chacinas como essa se repitam, principalmente no Interior\", apontou Justa.

Déficit no efetivo

Além das insuficientes vagas no Sistema Penitenciário do Ceará, Cláudio Justa destaca a carência no quantitativo de agentes penitenciários. \"Com essa nova dinâmica do crime organizado é fatal deixar um agente responsável por uma unidade. As ações do Governo estão sendo postas em xeque. Existe uma rede de lideranças presa e o atual serviço de Inteligência não consegue conter esse avanço\", disse Justa.


Lembrando que a Sejus está em processo de construção de um presídio de segurança máxima estadual, a ser entregue ainda neste ano, o presidente do Copen avalia que o novo equipamento não solucionará o problema. Segundo Justa, o Ceará abriga integrantes de facções que estão em nível de gerenciamento e podem, facilmente, serem substituídos. \"Um presídio assim serve para a separação dos cabeças das facções. Aqui, o poder é descentralizado. São pessoas altamente substituíveis. O dinheiro desse presídio seria melhor aplicado nos equipamentos que já existem\", avalia.

FONTE: JORNAL DIARIO DO NORDESTE

Foto com rival fez facção matar jovem em Fortaleza



Os relatos sobre a violência praticada pela facção Guardiões do Estado (GDE), grupo suspeito de organizar a maior chacina já registrada em Fortaleza, já se multiplicavam mesmo antes de homens armados invadirem um forró e matarem 14 pessoas. Na tarde deste domingo, 28, o pedreiro Reginaldo Pereira de Oliveira, de 40 anos, contava porque seu filho foi morto pela facção, enquanto tratava da liberação do corpo de um primo, assassinado pouco depois da chacina. Ambos teriam sido mortos pelo GDE.

\"Meu filho postou uma foto no Facebook com um cara que era da outra facção. Foi só isso. Aí foram em casa e mataram ele\", conta o pai. O filho, Samuel Rodrigues da Costa, de 20 anos, foi executado no dia 15 de dezembro. \"Falaram que tinham ido matar ele para roubar. Ele tinha juntado R$ 1 mil, e comprado camisetas. Queria multiplicar o dinheiro. Ele trabalhava em uma transportadora\", conta o pai. \"Só depois soube dessa foto.\"

Pai e filho moravam em Maracanaú, na Região Metropolitana. O pai conta que, de alguns anos para cá, as pessoas começaram a ouvir falar das facções. Muros começaram a ser pichados com a sigla GDE, e entre os moradores corriam boatos de que eles iriam \"dominar tudo\".

Samuel, que trabalhava, não tinha ligação com facções. Mas um de seus amigos, sim. Era identificado pelos vizinhos como integrante do Comando Vermelho (CV), a facção fluminense em disputa com o GDE cearense pelo domínio do tráfico na periferia da cidade.

\"A coisa fugiu todo do controle. Logo, isso aqui vai virar uma guerra civil\", diz Oliveira. \"A facção surgiu não tem muito tempo, não. E está crescendo de uma forma terrível. Tem homem feito, de 25, 30 anos, mas tem moleque de 12 anos\", conta.

Morte

O primo de Oliveira, Jefferson Silva Costa, foi assassinado no domingo, depois da chacina. Os familiares contam que oito homens entraram na casa e o executaram. Um irmão de Costa, que também estava no imóvel, fugiu por uma janela. O crime ocorreu à 1h30.
FONTE: DIÁRIO DO NORDESTE 


segunda-feira, 29 de janeiro de 2018

"NÃO HÁ MOTIVO PARA PÂNICO" Fala do secretário de Segurança sobre massacre em Cajazeiras rende memes nas redes sociais

O secretário da Segurança Pública e Defesa Social, André Costa, afirmou que a chacina no bairro Cajazeiras, em Fortaleza, foi ação planejada e organizada. Ele comparou com os massacres que ocorrem em outros países, que não são ligados a grupos criminosos. Apesar da chacina ser a maior da história do Ceará, o secretário afirma que “não há perda de controle”. Ele qualificou o massacre como "caso isolado".
A frase rendeu memes nas redes sociais. Confira alguns:
FONTE: O POVO

Conflito entre presos deixa 10 mortos na cadeia pública de Itapajé Ceará

Um conflito entre facções criminosos ocorrido hoje no município de Itapajé que dista a 124 kms de Fortaleza terminou com um saldo de 10 presos mortos. Segundo informações mais de 100 presos estavam reclusos em aludida cadeia pública, durante a troca de tiros  mais 8 presos ficaram feridos a situação foi contornada com a chegada de equipes da Polícia Militar.

Circulam boatos na cidade de que tudo teria ocasionado em decorrência da fatídica chacina ocorrida sexta feira passada no bairro Cajazeiras em Fortaleza. No local encontrava-se apenas um agente penintenciário de plantão em virtude do reduzido número de agentes existentes no estado do Ceará. Urge-se portanto a convocação de pelo menos 2 mil agentes para amenizar a deficiência.


Triplo homicidio foi registrado no bairro Ancuri em Fortaleza

Triplo homicídio foi registrado na rua Mangueira, no bairro Ancuri, próximo ao Anel Viário. Duas mulheres e um homem morreram na ação, segundo agentes das polícias civil e militar, que pediram para não serem identificado. As três vítimas eram da mesma família, incluindo um casal. Todos foram retiradas de casa pelos criminosos e baleados na via. O crime ocorreu nas últimas horas de domingo, 28, após as 23 horas.

domingo, 28 de janeiro de 2018

PEFOCE DIVULGA LISTA DE MORTOS NA CHACINA DO FORRÓ DO GAGO OCORRIDA EM FORTALEZA

Perícia Forense do Estado do Ceará (Pefoce) divulgou, no fim da tarde deste domingo (28), a lista oficial com nomes dos 14 mortos na Chacina das Cajazeiras. Das vítimas, sete eram jovens, com idades de 15 a 24 anos. Oito são mulheres e seis homens.

Confira lista:

Maíra Santos da Silva (15) Maria Tatiana da Costa Ferreira (17) Brenda Oliveira de Menezes (19) José Jefferson de Souza Ferreira (21) Raquel Martins Neves (22) Luana Ramos Silva (22) Wesley Brendo Santo Nascimento (24) Natanael Abreu da Silva (25) Antônio Gilson Ribeiro Xavier (31) Renata Nunes de Sousa (32) Mariza Mara Nascimento da Silva (37) Edneusa Pereira de Albuquerque (38) Raimundo da Cunha Dias (48) Antônio José Dias de Oliveira (55)

Ainda conforme a Pefoce, todos os corpos da ocorrência registrada na madrugada desse sábado (27) foram liberados para as suas famílias. Parte dos sepultamentos aconteceram durante todo este domingo, em cemitérios localizados no Bom Jardim e em Maranguape.

Mariza Mara era vendedora de lanches e mãe de seis filhos. Natanael Abreu era motorista da Uber e morreu enquanto trabalhava no entorno. Até a publicação desta matéria, a Secretaria da Segurança Pública e Defesa Social (SSPDS) não havia informado quais das vítimas possuíam passagens por infrações ou antecedentes criminais.

FONTE: DIÁRIO DO NORDESTE 


sábado, 27 de janeiro de 2018

Presidente da Comissão da OAB defende presença de tropas federais no Ceará



Com o Ceará ainda em estado de choque após a Chacina das Cajazeiras, que deixou 14 mortose mais nove feridos, na madrugada deste sábado (27), órgãos de Direito e Segurança Pública se manifestaram em relação àinstabilidade do cenário cearense. A presença de tropas federais para reforço na segurança de Fortaleza, inclusive, é defendida pelo presidente da Comissão de Direito Penitenciário da Ordem dos Advogados do Brasil no Ceará (OAB/CE), Márcio Victor Albuquerque.

Segundo Albuquerque, “a intervenção federal está disposta na própria Constituição, quando há uma grave instabilidade como no Ceará”. O advogado ressalta, porém, que “é necessária, na verdade, uma junção de forças entre Município, Estado e União para combater as facções criminosas e reduzir a insegurança” no território cearense.

“O crime organizado está vindo das unidades penitenciárias, locais com superlotação e, muitas vezes, onde as facções assumiram a liderança”, pontua o presidente, declarando que desde novembro passado a Ordem “encaminha constantemente ofícios e propostas ao Governo do Estado” por meio do Fórum Permanente de Segurança Pública. “Não pedimos somente a contratação de mais agentes. É preciso um reforço na inteligência, na tecnologia, tanto da Polícia Militar como da Civil”, destaca Márcio Victor.

Na próxima segunda-feira (29), as Comissões de Direito Penitenciário, Segurança Pública e Direitos Humanos, entre outras, devem se reunir para discutir providências e posicionamentos em relação à chacina. Também na próxima semana, segundo Albuquerque, uma ação será impetrada para retirada de presos de delegacias da Capital e transferência para unidades prisionais.

“Tragédia anunciada”

Para o presidente do Conselho Estadual de Segurança, Leandro Vasques, é necessária uma “reformulação urgente” do plano de segurança implementado no Estado. “Essa, infelizmente, foi uma tragédia anunciada. O Governo do Estado tem de reconhecer que a situação está fora de controle e corrigir os rumos desse plano, porque houve uma ascensão na violência que obriga uma gestão responsável a isso”, declara, criticando, ainda, “a cultura do 'bandido bom é bandido morto'”.

“O secretário (da Segurança Pública) André Costa disse que, para bandido, é justiça ou cemitério, como se essa carnificina entre as facções fosse aceitável. Quem está indo ao cemitério são pessoas inocentes”, lamenta. De acordo com Vasques, o Conselho deve apresentar ao Estado, na próxima semana, “um documento com mais de 40 propostas efetivas para a segurança”, dentre as quais está a criação de delegacias especializadas Interior.
FONTE: DIÁRIO DO NORDESTE 

CHACINA DO GAGO: SECRETÁRIO AFIRMA QUE "NÃO HÁ PERDA DE CONTROLE"


vídeo

O secretário de segurança pública do Ceará Delegado de Polícia Federal André Costa afirmou durante coletiva à imprensa Cearense no dia de hoje que: Apesar da chacina ser a maior da história do Ceará, o secretário afirma que “não há perda de controle”. Ele qualificou o massacre como "caso isolado". Ele comparou com os massacres que ocorrem em outros países.

Repercute na imprensa internacional chacina ocorrida em Fortaleza

JORNAL INGLÊS




JORNAL PORTUGUÊS


JORNAL ESPANHOL



Repercutiu negativamente a chacina ocorrida na madrugada de hoje na cidade de Fortaleza no bairro Cajazeiras  onde 14 pessoas foram mortas a tiros por elementos supostamente pertencentes a uma facção criminosa que atua no Estado do Ceará.  Abaixo um dos trechos da matéria do jornal espanhol  El País:


Si Brasil está sufriendo un repunte en violencia, con unos 60.000 homicidios al año, Ceará es la capital de este fenómeno. En los últimos añose se ha convertido en el tercer Estado más violento del país, con unos 46 homicidios por cada cien mil habitantes, cuando la media del país está 29 por cada cien mil. En este auge, también se ha convertido en el Estado en el que se asesina a más adolescentes, según un informe de Unicef publicado a finales de 2017. Fortaleza también lídera la lista de las ciudades con más muertes entre adolescentes.

TRADUÇÃO :

Se o Brasil está sofrendo uma recuperação da violência, com cerca de 60 mil homicídios por ano, Ceará é a capital desse fenômeno. Nos últimos anos, tornou-se o terceiro estado mais violento do país, com cerca de 46 homicídios por cem mil habitantes, quando a média do país é de 29 por cem mil. Neste boom, também se tornou o estado em que mais adolescentes são mortos, de acordo com um relatório da UNICEF publicado no final de 2017. Fortaleza também lidera a lista das cidades com maior número de mortes entre adolescentes.





Chacina do Gago: 14 pessoas foram assassinadas no bairro Cajazeiras em Fortaleza

A maior chacina corrida no BRASIL  a nivel urbano ocorreu ontem na rua Madre Teresa Calcutá no bairro Cajazeiras em Fortaleza, segundo informes tres veículo compostos por homens fortemente armados invadiram uma festa no clube do Forró do Gago e efetuaram dezenas de disparos chegando a vitimar cerca de 14 pessoas. O motivo teria sido por disputas pelo controle do tráfico naquele bairro vários corpos ficaram espalhados pela rua e no interior do clube há informações de que muitos dos mortos não teriam qualquer envolvimento com atividades criminosas umas das vítimas criança de 12 anos de idade afirmou no IJF que chegou a ver seu pai ser executado com um tiro na cabeça, entre as vítimas fatais estariam uma vendedora de lanches e um motorista de taxi por aplicativo que foi morto juntamente com o passageiro do veículo. Os assassinatos estão sendo atribuidos à facção criminosa denominada GDE que teria sido originada no bairro conjunto Palmeiras em Fortaleza. A guerra entre facções rivais no Ceará tem deixado um saldo negativo pois muitos inocentes perderam a vida sem terem qualquer tipo de envolvimento com atividades criminosas principalmente na periferia onde impera a lei do silêncio imposta por criminosos. A polícia investigativa precisa urgentemente de maior investimento por parte do estado tendo em vista que ela é a responsável pelas investigações dos mais diversos tipos de crimes bem como pela desarticulação de organizações criminosas, o efetivo policial civil do Ceará é hoje o mesmo de 30 anos atés, portanto urge-se pelo fortalecimento da instituição policial civil.

Homens mortos: 08

Mulheres: 06




CE: Desembargadora extingue processo contra sindicato dos agentes penitenciários sobre greve de 2016



A desembargadora Lisete de Sousa Gadelha, em decisão monocrática, de 14 de dezembro de 2017, extinguiu o processo da declaração de ilegalidade da greve dos agentes penitenciários do Estado do Ceará e da possibilidade de descontar da remuneração dos trabalhadores. Nesta sexta-feira, 26, o Sindicato dos Agentes Penitenciários (Sindasp-CE) divulgou a decisão nas redes sociais e comemorou a extinção do processo. Na ocasião da greve, no dia 21 de maio, aconteceram rebeliões que deixaram 14 detentos mortos. 

Na decisão, a magistrada não chega a analisar o mérito. Ela considera que a ação que pedia a declaração da ilegalidade da greve perdeu o objeto com o fim do movimento. Por isso, a desembargadora não chegou a decidir se a greve era ilegal ou não.



O Governo do Estado foi procurado e informou que não iria se pronunciar sobre o caso, pois não teve acesso a decisão. 

Já o presidente do Sindasp, Valdemiro Barbosa, comemorou a decisão. "A gente vê como uma questão de Justiça. Nós fizemos um movimento legal e tomamos todas as providências de acordo com a legislação. Fomos notificados dois dias depois, na segunda-feira. E foi uma tentativa do Governo de querer transferir a responsabilidade e tentar culpabilizar a categoria, devido o abandono e a negligência do sistema penitenciário", relatou. 

 Greve dos agentes penitenciários 

O governo do do Ceará teve um prejuízo de R$ 12 milhões. Ainda em 2016, o Ministério Público do Estado do Ceará (MPCE) divulgou um relatório sobre as rebeliões e confirmaram a presença de pelo menos três facções atuantes dentro das unidades.

No dia das greves, segundo o Ministério Público, as visitas teriam sido impedidas de entrar da unidade. Houve manifestação das esposas dos detentos e quebra-quebra das unidades da Região Metropolitana de Fortaleza (RMF), que posteriormente, tiveram que ser reformadas.

FONTE: O POVO ONLINE 

sexta-feira, 26 de janeiro de 2018

Juiz do Ceará será alvo de processo administrativo disciplinar

FOTO ILUSTRATIVA 

O Pleno do Tribunal de Justiça do Ceará (TJCE) decidiu, ontem, instaurar Processo Administrativo Disciplinar (PAD) para apurar supostas irregularidades praticadas pelo juiz José Edmilson de Oliveira. O magistrado foi alvo da terceira fase da 'Operação Expresso 150', deflagrada pela Polícia Federal no dia 13 de junho do ano passado que investiga esquema de venda de liminares durante os plantões judiciários do Tribunal.

Conforme o TJCE, teria sido verificada excessiva demora na tramitação dos processos, baixa produtividade e o descumprimento de recomendações da Corregedoria-Geral da Justiça. O juiz também teria acelerado uma ação de reintegração de posse ajuizada por construtora.

A decisão unânime aconteceu durante sessão conduzida pelo presidente da Corte, desembargador Glaydson pontes. O relatório apresentado pelo corregedor-geral da Justiça, desembargador Francisco Darival Beserra Primo, é referente a sindicância realizada de 8 a 20 de maio de 2017, na 5ª Vara Cível de Fortaleza, onde José Edmilson atuava até um mês antes de requerer aposentadoria.

O Tribunal afirma que, em defesa, o magistrado aposentado negou ter favorecido a empresa. Sobre a produtividade, ele teria dito que contava com quantidade reduzida de servidores e que havia lentidão na digitalização dos processos. Oliveira acrescentou que mantinha rigor nas tramitações das ações e nas sentenças proferidas de sua responsabilidade.

Afastados

Em novembro de 2017, também foi decidida abertura de PAD contra outro juiz investigado por supostas negociações de sentenças e também alvo da terceira fase da 'Expresso 150'. De acordo com o Tribunal, assim como José Edmilson de Oliveira, Onildo Antônio Pereira da Silva teria acelerado a ação da mesma construtora. José Edmilson e Onildo Antônio foram afastados das suas funções no dia que a operação foi deflagrada e a PF esteve em seus gabinetes. Dias depois, eles solicitaram aposentadoria.
Fonte: Diário do Nordeste 


terça-feira, 23 de janeiro de 2018

Pai mata traficante após vídeo íntimo da filha ser divulgado em rede social

News 24hrs |



 Um vídeo íntimo motivou um assassinato de um criminoso de São Luís, capital do Maranhão. As imagens de um jovem de 22 anos, tendo relações sexuais com uma mulher de 18 anos, começaram a circular em grupos de WhatsApp do estado, até que as imagens foram descobertas por ninguém mais, ninguém menos, que o pai da garota. Ao descobrir que foi o rapaz que decidiu publicar a gravação na internet, o pai, indignado e com raiva, o procurou e o executou com a ajuda de amigos. Outro vídeo, que mostra o momento da execução do suspeito também está sendo divulgado na internet.

O rapaz executado foi identificado como Kleber Vieira Gama, um presidiário que estava foragido. O suspeito era procurado pelas autoridades por cometer crimes de estupro, tráfico de drogas e roubo. Junto com a informação de sua execução, imagens do rapaz segurando uma arma aparecem nas redes sociais.

O pai que localizou o criminoso faria parte de um grupo de extermínio do Maranhão, que seria conhecido como o G6. Durante a execução, que pode está em vídeo abaixo, os homens que atiram contra o suspeito fazem menção ao grupo. Outro fato que chama atenção é que o pai da ex-companheira do traficante atira diversas vezes contra o rapaz, mostrando toda raiva que estava sentindo.

A Polícia Civil do Maranhão procurava Kleber desde o último dia 12, quando mandados de prisão foram expedidos pela justiça. No entanto, as autoridades não estavam tendo sucesso até o momento em que encontraram o corpo em uma vala na cidade de Imperatriz. O cadáver do traficante estava sem as tatuagens. Tudo aponta que a motivação do crime foi o vídeo íntimo. No entanto, os policiais da região ainda afirmam ser cedo para confirmar com toda certeza que o pai da garota é o responsável pela execução.

Mesmo com o vídeo em mãos e o conhecimento de que o pai é o responsável, o caso ainda é tratado com muita cautela. O motivo para isso é porque Kleber contava com vários desafetos no mundo do crime. Por conta disso, as autoridades querem ter certeza absoluta na ação que tomarão a seguir.

CLIQUE PARA VER O VÌDEO


sábado, 20 de janeiro de 2018

POLICIAIS DE SERVIÇO SÃO PROIBIDOS DE ESTACIONAR DENTRO DO ESTÁDIO PRESIDENTE VARGAS




VEREADOR SOLDADO NOELIO DENUNCIA ATO DE DESPREZO CONTRA PMS




Essa semana policiais foram surpreendidos com a notícia de que não podem mais estacionar seus veículos no Estádio Presidente Vargas.

O que nos causou maior indignação foi o fato das vagas do estacionamento terem ficado vazias após a proibição.

A mais completa demonstração de desprezo e desrespeito por parte dos responsáveis pela organização do evento.

Na próxima terça teremos uma reunião com o Secretário Carlos Dutra para tratar do assunto e denunciar essa situação.



Sargento da PM é assassinado em Fortaleza




Um policial militar da reserva baleado na nuca durante uma tentativa de assalto no bairro Conjunto Esperança teve a morte confirmada na noite deste sábado (20). Petronilo Leonardo da Silva Neto tinha 63 anos. 

O PM foi socorrido por uma viatura e levado para uma unidade de saúde na Capital, mas não resistiu. A 11ª Delegacia da Divisão de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP) investigará o caso. 

A Secretaria da Segurança Pública e Defesa Social do Ceará (SSPDS) informou, por meio de nota, que equipes da Polícia Militar do Estado do Ceará (PMCE) estão em diligência na região próxima ao local do crime, com o objetivo de localizar os responsáveis pela ação. "A SSPDS lamenta a perda de um integrante das forças de segurança e se solidariza com os familiares e amigos do militar", acrescentou o órgão. 

A Polícia Civil reforça que a população pode contribuir com as investigações repassando informações que possam ajudar na elucidação do caso. As denúncias podem ser feitas pelo número 181, o Disque Denúncia da SSPDS, para o (85) 3257-8807, da DHPP, ou ainda para o número (85) 99111-7498, que é o Whatsapp da Divisão, por onde podem ser feitas denúncias via mensagem. 

Fonte: Diário do Nordeste

quarta-feira, 17 de janeiro de 2018

Ceara: Agente Penintenciario é preso por corrupção



Três pessoas, dentre elas uma agente penitenciária, foram presas, na manhã desta quarta-feira (17), sob a suspeita de participar de um esquema para o ingresso de celulares no interior da unidade prisional CPPL V, em Itaitinga, Região Metropolitana de Fortaleza.

Segundo a Controladoria Geral de Disciplina (CGD), o trio foi capturado durante operação que resultou no cumprimento de mandados judiciais emitidos pela Comarca de Itaitinga. Um outro preso é egresso do Sistema Penitenciário.

A Controladoria aponta que a agente penitenciária praticava os crimes de corrupção e associação criminosa. A operação foi realizada pela Delegacia de Assuntos Internos (DAI), com apoio do Núcleo de Investigação Criminal (Nuinc), do Ministério Público do Estado do Ceará (MPCE).

Ainda de acordo com a CGD, o fato está sendo devidamente apurado no âmbito disciplinar. Nenhum nome dos envolvidos foi revelado.

Fonte: Diário do Nordeste 

terça-feira, 16 de janeiro de 2018

Venezuela confirma morte de Óscar Pérez, líder do grupo rebelde do helicóptero

Grupo dissidente de agentes da polícia rebeldes, liderado por Óscar Pérez e responsável por um ataque com um helicóptero roubado, foi desmantelado durante uma operação das forças de segurança.


O governo venezuelano confirmou nesta terça-feira (16) a morte do ex-policial e piloto Óscar Pérez, que no ano passado atacou prédios governamentais usando um helicóptero, em operação policial realizada nesta segunda na periferia de Caracas.
Na operação para o "desmantelamento de um perigoso grupo terrorista", 7 pessoas do grupo foram mortas e 6 detidas, disse o ministro do Interior da Venezuela, Néstor Reverol. Dois policiais também morreram nos confrontos.
No Twitter, o Ministério do Poder Popular para Relações Interiores, Justiça e Paz divulgou os nomes e as fotos dos mortos. "Durante as ações de desmantelamento, terroristas abriram fogo contra os funcionários, que procederam segundo os protocolos definidos para neutralizar o grupo de agressores, com saldo de 7 terroristas mortos", diz o post.




Bandidos disparam tiros defronte ao fórum de Senador Pompeu Ceará e deixam bilhete


Os moradores da cidade de Senador Pompeu, no Sertão Central, estão amedrontados. A onda de criminalidade no município vem crescendo ao ponto de até mesmo as autoridades do judiciário daquele município sofrerem intimidação por parte de bandidos, que segundo informações, integram facções criminosas.

A mais recente ocorrência deixou a cidade completamente estarrecida. Conforme boletim, dois indivíduos em uma motocicleta modelo Fan, de cor preta, efetuaram para cima pelo menos dois disparos de arma de fogo em frente ao Fórum daquele município.

Os indivíduos ainda arremessaram nas proximidades da unidade de Justiça um bilhete amarrado em uma pedra. No papel havia "exigências" ao juiz, promotor e delegado para que realizem a transferência da Cadeia Pública, de Jefferson Felipe Neres, o "Gel".

O bilhete já circula nas redes sociais.





domingo, 14 de janeiro de 2018

Guarda Municipal de Fortaleza é constrangida por cobrador de ônibus em Fortaleza




GUARDA MUNICIPAL FARDADA SOFRE CONSTRANGIMENTO AO EMBARCAR EM COLETIVO DE FORTALEZA

Ontem (14.01) por volta das 18h10 uma guarda feminina devidamente FARDADA da Guarda Municipal de Fortaleza (GMF) ao embarcar no ônibus de n°42403 da empresa Dragão do Mar que faz a linha Veneza 01 foi constrangida quando o cobrador solicitou que a servidora da GMF mostrasse sua identidade funcional para que ele liberasse a gratuidade. A guarda feminina (gfem) informou ao cobrador que não tinha necessidade visto que ela estava fardada mesmo assim, o cobrador ainda insistiu na identificação fazendo com que os outros passageiros ficassem acompanhando aquela discussão e vindo a constranger a gfem.
A servidora da GMF após essa situação constrangedora mostrou sua identificação funcional para a câmera de segurança do coletivo e só então que o cobrador liberou a passagem da gfem. A agente da GMF tirou a foto do veículo, registrou boletim de ocorrência na delegacia pelo constrangimento sofrido e entrará com processo judicial contra a empresa pela situação vexatória que sofreu.

sábado, 13 de janeiro de 2018

Agepen assassinado chefiava esquema de corrupção e levava drogas para presídio em Goiás


"Quanto que fez hoje, muito?"


Essa era a pergunta recorrente que Ednaldo Monteiro da Silva, então supervisor de segurança do presídio de Anápolis (GO), fazia aos traficantes Wanderson Rithiele Assis Santana, o Bola, e Leonardo Cândido Correia, o 4, respectivamente chefes das alas C e B da unidade prisional da terceira maior cidade de Goiás. Era a prestação de contas sobre tudo o que era arrecadado dentro da prisão: tráfico de drogas, venda de gelo na cantina (R$ 10 a barra), de bebidas (R$... - R$ 30 a garrafa), de celulares (R$ 1.000 a unidade), de celas (R$ 5.000 cada). Havia também permissão para saídas noturnas dos presos que chefiavam as alas Bola saía arrumado e perfumado duas noites por semana, contou uma testemunha ao MP (Ministério Público) de Goiás-- e saídas bancárias escoltadas pelos servidores para que detentos sacassem o dinheiro de pagar propina, além da entrada de prostitutas. 


Em 21 de novembro de 2017, a deflagração da segunda etapa da operação resultou na prisão de Monteiro, do ex-diretor do presídio Fábio de Oliveira Santos e de outros agentes penitenciários acusados de participação no esquema de corrupção. 
Monteiro teve a prisão relaxada no mês seguinte e passou a responder à investigação em liberdade. Em 2 de janeiro, quando deixava a floricultura de sua família em Anápolis, foi assassinado a tiros dentro de carro por três homens.

O agente penitenciário estava indo ao velório do colega de trabalho Eduardo dos Santos, que havia sido morto de maneira semelhante ao sair de seu plantão no presídio.


LEIA COMPLETO EM UOL

Facções criminosas alimentam ciclo de violência


FOTO ILUSTRATIVA 



A violência cíclica do Ceará o emergiu em uma cadeia de mortes, alimentada pelo tráfico de drogas, que já tirou de muita pessoas a capacidade de se indignar com a perda de vidas. As soluções chegam devagar e, em 2017, não foram suficientes para impedir que o número de assassinatos chegasse a 5.134. No ano mais violento da história, a atuação das facções foi determinante para mostrar o perigo que tomou o Estado e que submete todos ao medo constante.

A estatística oficial divulgada, na tarde de sexta-feira (12), pela Secretaria da Segurança Pública e Defesa Social (SSPDS), mostra que o índice de Crimes Violentos

Letais Intencionais (CVLIs) - homicídios, latrocínios e lesões corporais seguidas de morte - cresceram 50,7%, se comparado com o ano de 2016, quando 3.407 pessoas foram executadas.

Para o Governo do Ceará, a grande maioria das vítimas da violência é, de alguma forma, envolvidas com a guerra travada entre as facções. No último mês de dezembro, 454 execuções foram registradas no Ceará. Destas, 179 aconteceram em Fortaleza. O segundo maior número de casos, se consideradas as regiões, foi contabilizado na Região Metropolitana, com 127.





De 2016 para 2017, houve aumento de CVLIs em todas as Regiões. O recorde de assassinatos fez com que o ano passado terminasse com uma média de 14 mortes por dia. Outubro foi o mês mais violento, com 516 vítimas de homicídios e latrocínios.


Em coletiva de imprensa para a apresentação dos dados, o titular da SSPDS, André Costa, afirmou estar empenhado na tentativa de solucionar o problema e reiterou que o Estado vive uma rotina de disputa por territórios promovida, pelas organizações criminosas.

\"É uma série de dinâmicas que interfere para o aumento do CVLI. Há alguns anos, as facções já estavam presentes no nosso Estado, mas desde o início do ano passado houve um acirramento entre elas. Em grande parte, essas mortes são resultantes de disputas por mercado para o tráfico de drogas\", afirmou.

Munições

Demonstrando poder e demasiada ousadia, a facção local, Guardiões do Estado (GDE), se envolveu até em um esquema de desvio de munições do Exército Brasileiro (EB). Uma fonte da Polícia Civil disse que grande parte dos 14 cartuchos, que teriam sido furtados por dois soldados, foram espalhados em vários pontos diferentes pela facção.

O titular da SSPDS disse que a maior parte das munições furtadas do paiol do EB, localizado em Maranguape, foi destinada a criminosos da Região Metropolitana de Fortaleza (RMF). Ele negou que as munições tenham ido para a comunidade da Babilônia, no Barroso II, na Capital, de onde a GDE expulsou dezenas de famílias.


\"Houve uma confusão porque há um traficante que tem um papel de liderança na Babilônia. Tinha, na verdade, porque nós prendemos vários e outros fugiram de lá. O mesmo apelido dele é o de um traficante da Região Metropolitana. Na verdade, a munição foi destinada para a Região Metropolitana\", afirmou André Costa.

O secretário revelou, ainda, que uma parte das munições já foi recuperada pela Polícia. Entretanto, o titular da SSPDS se negou a dar mais detalhes da investigação do crime. \"Nós estamos esperando fechar essa investigação, para, em coletiva, passar os detalhes\", justificou.

Uma fonte do Exército revelou à reportagem que a Corporação, em parceria com a SSPDS, realizou uma operação, entre a noite da última quinta (11) e a manhã da sexta-feira (12), em uma comunidade da Grande Fortaleza, com o objetivo de localizar o restante da munição.

O assunto é tratado com extremo sigilo pela SSPDS e pelo Exército. Entretanto, a reportagem apurou que dois soldados foram presos, por suspeita de fazerem um buraco na parede do paiol e furtarem cerca de 14 mil munições de fuzil calibre 7.62.

O comando da 10ª Região Militar do Exército Brasileiro, responsável pelos estados do Ceará e Piauí, lançou nota oficial para afirmar que instaurou Inquérito Policial Militar (IPM) para apurar o que chamou de \"desaparecimento\" de munições das instalações da 2ª Companhia de Suprimento, em Maranguape.

Segundo a nota, o 'sumiço' dos cartuchos foi detectado em uma vistoria, realizada em 29 de dezembro em um dos paióis. \"Foram constatadas divergências quantitativas entre a existência física e o Sistema de Controle Físico (Siscofis), instrumento de controle sistemático vigente em todo o território nacional que permite a gestão contínua de todo o material controlado do Exército Brasileiro\", informou o comando da 10ª Região Militar.

Babilônia


Em relação à Comunidade da Babilônia, uma das mais problemáticas da Capital ultimamente, em relação às disputas pelo tráfico de drogas, André Costa afirmou que o Governo do Estado está procurando parcerias com outras instituições, que possam realizar projetos sociais para ocupar o espaço, aumentando a sensação de segurança.


Entre as instituições procuradas estão os clubes de futebol Ceará Sporting Club e Fortaleza Esporte Clube, igrejas católicas e evangélicas, a Prefeitura Municipal de Fortaleza, o Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (Sebrae) e o Serviço Nacional de Aprendizagem Comercial (Senac).


\"Não queremos deixar isso a cargo apenas do policiamento. Mas a gente deixar o policial, realmente, como um garantidor. Quem quiser ajudar, com ações de prevenção social, vai poder ter acesso e andar livremente na comunidade\".

Na última semana, dezenas de famílias deixaram a Babilônia, após serem expulsas pela GDE. As casas permanecem desocupadas e alguns dos moradores precisaram ser abrigados nas casas de amigos e familiares, em outros bairros, para fugir das ameaças da facção.


FONTE: DIÁRIO DO NORDESTE




Educadora social é assassinada dentro de ônibus em Fortaleza


Duas pessoas foram baleadas dentro de um ônibus da linha Antônio Bezerra/Messejana, na tarde desta quinta-feira (11), na rua Frei Cirilo, próximo ao Hospital do Coração. O crime aconteceu por volta das 16h.

Conforme o delegado da Divisão de Homicídios Alex Murador, um homem teria reagido após outro pular a catraca do coletivo. Na ocasião, uma passageira também foi atingida. Ela foi identificada por Alexandra Assunção dos Santos, de 34 anos.

O homem atingido por disparos morreu no local. Já a outra vítima foi resgatada para a unidade hospitalar próxima ao crime, porém, não resistiu aos ferimentos. Ela era monitora de um colégio na Capital, localizado na Avenida Aguanambi.

Inicialmente, de acordo com informações relatadas pela Polícia Militar, acreditava-se que o homem teria sido assassinado de forma premeditada. Em outra versão, populares chegaram a afirmar que um policial militar teria reagido a um assalto. As versões, contudo, não foram confirmadas pela Divisão de Homicídios.

Com os pertences do homem assassinado foi encontrada uma faca. Segundo o delegado, o atirador, que ainda não foi identificado, disparou pelo menos 10 vezes.

FONTE: DIÁRIO DO NORDESTE 


quinta-feira, 11 de janeiro de 2018

Ceará: Delegado que investigava corrupção no tribunal de justiça será removido para Brasília

Uma mudança no cargo de delegado Regional de Combate ao Crime Organizado (DRCOR) foi anunciado, nesta quarta-feira (10), pelo superintendente da Polícia Federal no Ceará, Delano Cerqueira Bunn. O cargo que era ocupado por Wellington Santiago será assumido por Juliana Pacheco, atual chefe da Delegacia de Defesa Institucional (Delinst).

O superintendente afirmou que Wellington Santiago está sendo removido para Brasília. Segundo Bunn, o delegado foi convidado para assumir uma nova função na Coordenação Geral de Combate à Corrupção. “Lá, ele utilizará toda a expertise desenvolvida no Ceará”, afirmou.

Desde 2015, Santiago estava à frente da‘Operação Expresso150’, que investiga um esquema de venda de liminares no Tribunal de Justiça do Ceará (TJCE). O superintendente da PF no Ceará acrescentou que a Instituição dará continuidade às investigações.

“Ele era o DRCOR mais longevo entre todas as Superintendências dos Estados, atualmente. A mudança na carreira é um processo natural de reconhecimento de mérito pelo seu trabalho. Para assumir a função de DRCOR, foi convidada a delegada Juliana Pacheco, que também tem um perfil operacional e proativo”, afirmou Delano Bunn.

Carreira

Dentre as investigações presididas por Wellington Santiago, a que desvendou as negociatas para concessão de decisões no TJCE foi a de maior destaque. Em dezembro de 2017, durante o Seminário de Combate à Corrupção, promovido pela Procuradoria da República, Santiago adiantou que em 2018 haverá novas apurações do caso.


domingo, 7 de janeiro de 2018

RN: Arqudiocese de Natal vai lançar campanha de arrecadação de alimentos para policiais


Arquidiocese de Natal vai lançar uma campanha de arrecadação de alimentos não perecíveis para ajudar os policiais militares que estão sem receber salário e entraram em greve. Neste sábado (06), ao final da celebração de encerramento da Festa de Santos Reis, co-padroeiros da cidade do Natal, o Arcebispo Metropolitano, Dom Jaime Vieira Rocha, fará o lançamento.

De acordo com a assessoria de comunicação da Arquidiocese, a arrecadação acontecerá na Catedral Metropolitana, de segunda a sexta-feira, no horário das 08h às 14h.

Ainda segundo a assessoria, na próxima segunda-feira (8), às 11h, o Arcebispo participará de uma audiência com o governador do Estado, Robinson Faria, para tratar sobre o assunto.

Onda de violência
O estado passou por uma onda de arrombamentos, durante uma greve de policiais militares, civis e do Corpo de Bombeiros, iniciada no dia 19 de dezembro de 2017. Os PMs cobram regularização dos salários atrasados e também melhores condições de trabalho. Vários arrombamentos e assaltos foram registrados nos primeiros dias. A Justiça considerou o movimento ilegal e determinou o retorno dos policiais ao trabalho, bem como a prisão de militares que incentivassem a paralisação, mas as categorias permaneceram em greve. Ninguém foi preso até o momento.

Para reforçar a segurança do estado, o governo federal enviou 2,8 mil homens das Forças Armadas. Desde a chegada dos militares, na sexta-feira (29), houve redução do registros da crimes no estado, segundo o comandante da operação Potiguar III, general Rinauto Fernandes.

G1 RN

Governo do RN veta reajuste de diárias da PM e nega isenção de ICMS a compra de armas por bombeiros

O governador Robinson Faria (PSD) vetou duas leis que beneficiavam policiais e bombeiros do Rio Grande do Norte. Os vetos foram publicados no Diário Oficial do Estado desta quinta (4) em meio à crise na segurança pública com policiais civis, militares e bombeiros em greve reivindicando melhores condições de trabalho e o pagamento dos salários atrasados. O movimento é considerado ilegal pela Justiça.

No primeiro veto, o governo proíbe bombeiros militares de terem isenção de imposto na compra de armas. Essa mesma isenção já tinha sido vetada pelo Governo aos demais membros do aparelho de segurança pública do Estado (policiais civis e militares e agentes penitenciários).

No segundo veto, o governador Robinson Faria cancela o aumento do valor das diárias operacionais que ele mesmo tinha proposto para os policiais do Rio Grande do Norte, de R$ 50 para R$ 100, após elas permaneceram congeladas por 8 anos. A Lei é do Governo, mas tinha recebido uma emenda do deputado Kelps Lima (SD) para que as diárias continuassem sendo pagas pelo período de 6h corridas, como sempre foram.

O estado enfrenta paralisação de policiais e bombeiros militares desde o dia 19 de dezembro e de policiais civis desde 20 de dezembro. Nesta quinta (4), policiais militares entregaram um documento ao comando da PM e à Secretaria de Segurança com várias reivindicações.

No dia 31 de dezembro, o desembargador Cláudio Santos determinou que os comandantes da Polícia Militar, do Corpo de Bombeiros e o delegado-geral da Polícia Civil prendam os policiais responsáveis por incitar, defender ou provocar a paralisação. Até esta quarta-feira (3) ninguém havia sido preso, apesar da continuidade da greve.

Nem a delegada-geral, Adriana Shirley, nem o comandante-geral da Polícia Militar, coronel Osmar Azevedo, nem a secretária de Segurança Pública, Sheila Freitas, quiseram comentar o descumprimento da decisão judicial que ordenou a prisão dos grevistas.

FONTE: G1 RN

Parabéns Capitão Lenarte da PM do Rio Grande do Norte




Vamos disseminar este gesto heróico de um verdadeiro Oficial , que , mesmo correndo risco de punição disciplinar , colocou sua liberdade como questão secundária , para abraçar a causa do seu subordinado, que , numa atitude digna de verdadeiro herói expôs , ao desnudar a situação falimentar de todos os profissionais da segurança pública potiguares , o fez com galhardia se expondo e , assim , representou à todos , sem exceções.

Ah , se houvesse uma cruzada nacional , em todas as Corporações Policiais Militares , e o gesto grandioso do Capitão e do Cabo do Rio Grande do Norte , fosse disseminado no Brasil inteiro , para mostrar à Sociedade , e sobretudo , aos Governos Estaduais , que , por trás dos uniformes militares , existem homens e mulheres , com necessidades múltiplas , emocionais e materiais , as quais precisam serem resolvidas , e de preferência , em momentos de tranquilidade funcional , sem chegar à extremos , como os vivenciados no vizinho estado.

Me orgulho de saber que , ainda há homens e mulheres valorosos , que , pensam coletivamente , em detrimento do individual.


Por Erivaldo Sousa.

Capitão da PM do Rio Grande do Norte aplica teoria dos direitos humanos diante do desespero de um policial


Parabéns ao Capitão Lenarte por sua ação ganhando assim o reconhecimento da tropa PM potiguar.



Situação causada pela incompetência de um governante, este sim , merecia ser responsabilizado judicialmente  uma vez que o não pagamento dos funcionários é uma forma de enriquecimento sem causa, além de ter assumido o risco de colocar todo o Estado em insegurança.

sábado, 6 de janeiro de 2018

Entidades representativas de policiais do RN agradecem Ministério Público Estadual

NOTA DE AGRADECIMENTO

As entidades representativas dos militares estaduais vem a público destacar, reconhecer e AGRADECER ao Ministério Público do RN pela louvável iniciativa de protocolar Habeas Corpus preventivo em favor dos policiais e bombeiros militares que se encontram com a real possibilidade de serem presos em decorrência de decisão judicial equivocada do desembargador Cláudio Santos.

Com esse ato, o Ministério Público demonstrou sensatez e empenho em resolver a crise na segurança de nosso Estado com os mecanismos apropriados, e não com meios coercitivos (prisão de policiais) que serviria apenas como estopim para um cenário sem precedentes e imprevisível que poderia ser desencadeado pela medida.

Fica o exemplo dado pelo Ministério Público do RN para os outros poderes e instituições* de como lidar com essa crise instalada em nosso Estado, buscando o diálogo e soluções sem querer penalizar as maiores vítimas desse caos que são os profissionais da segurança pública que tem sido privados de receberem seus salários, e por consequência, passado por necessidades elementares, chegando ao ponto de faltar alimentação na mesa dos seus familiares.

Entidades representativas dos militares estaduais do RN

Gravidade: Governo decreta estado de calamidade no sistema de Segurança Pública do RN


Motivo é a continuidade da paralisação dos policiais civis e militares, bem como o aumento gradual da violência; vigência do decreto é de 180 dias a serem contados a partir deste sábado


O governador Robinson Faria (PSD) decretou, em publicação no Diário Oficial do Estado deste sábado 6, estado de calamidade no sistema de Segurança Pública do Rio Grande do Norte. O motivo é a continuidade da paralisação dos policiais civis e militares, bem como o aumento de violência. A vigência do decreto é de 180 dias a serem contados a partir deste sábado.

“Considerando o aumento dos índices de violência decorrente da paralisação das atividades dos policiais militares e civis, consoante os dados expedidos pela Coordenadoria de Informações Estatísticas e Análises Criminais da Secretaria de Estado da Segurança Pública e da Defesa Social”, escreve o governador no decreto.

Ainda de acordo com a publicação, todos os bens, serviços e servidores da Administração Pública Direta ou Indireta ficarão disponíveis para atendimento aos serviços necessários do Sistema de Segurança Pública enquanto a situação perdurar. Os órgão da Segurança foram autorizados a contratar “quaisquer serviços e bens disponíveis, públicos ou privados, com vistas ao restabelecimento da normalidade no atendimento aos serviços de segurança pública”.

FONTE: AGORA RN

sexta-feira, 5 de janeiro de 2018

Salários em atraso: População do Rio Grande do Norte solidariza-se com PMs e doam alimentos







A paralisação parcial dos policiais do Rio Grande do Norte tem sido debatida pelo Governo do Estado, mas é a população quem está tomando a iniciativa para ajudar os agentes em necessidade. Sensibilizadas, algumas pessoas têm percorrido os batalhões de Natal para doar cestas básicas na intenção de aliviar a carga de problemas.

No Comando-Geral da Polícia Militar, em Tirol, a sub-tenente Célia Melo estava a cargo, como oficial de dia, de cuidar do recebimento das cestas básicas. Os “bons samaritanos” não quiseram se identificar, mas contaram com o agradecimento da oficial e do batalhão.
“É uma situação difícil. A gente está precisando tapar o sol com a peneira, mas não há condições. Alguns de nós estão em extrema necessidade, com várias contas para pagar, principalmente em razão do final do ano, e a agora a sociedade está se compadecendo conosco. Resolveram nos ajudar”, disse, levemente aliviada.

Dentro da cesta, pacotes de arroz, óleo, café, rapadura, açúcar, farinha de mandinhoca, cuscuz, milho, macarrão, dentre outros produtos. O Comando da PM esclareceu que as iniciativas são independentes, e que nenhum pedido por parte dos policiais está sendo feito à população.

“A comunidade ajuda e aceitamos de bom grado. Não há o que se fazer. Vamos, agora, informar pelos grupos das redes sociais para quem estiver mais necessitado, venha buscar essas cestas”, disse a sub-tenente.


quinta-feira, 4 de janeiro de 2018

Noiva de policial militar baleado em serviço pede ajuda em rede social


Diante da situação de abandono noiva do PM fez este apelo




Olá, sou a noiva do Cabo Douglas, como não possuo rede social e por isso vim em sua página fazer um apelo às autoridades e amigos. Meu noivo pertence ao BPChoque/COTAR/CE, e como muitos sabem no dia 14 de AGOSTO ele foi alvejado com um tiro na artéria Femural em uma troca de tiros com bandidos, onde estava de serviço pela PMCE na cidade de Boa Viagem-CE. Ele sobreviveu mas sua perna direita teve que ser amputada em consequência da demora no atendimento. O problema maior é que meu noivo, CB Douglas, ele contraiu uma bactéria hospitalar e desde então vem sofrendo até hoje indo de hospital em hospital. Já tomou vários antibióticos forte mas a bactéria ainda persiste na região da clavícula e esterno onde o mesmo veio a contrair OSTIOMIELITE (infecção nos ossos) devido ao mal uso de um acesso central na subclavia, bem como o tempo perdido para ter um diagnóstico correto da doença.
Já estamos a mais de 130 dias lutando para que meu noivo volte a ter sua saúde reestabelecida e voltar as suas atividades na polícia usando sua prótese, mas ele necessita de uma cirurgia de urgencia, ja que a bacteria pode se expandir para outras áreas e atingir algum órgão, Mas só quem pode fazê-la é um médico cirurgião torácico e um cirurgião plástico. Estamos com muitas dificuldades para encontrar o profissional da área para realizar a cirurgia, já que ele não possui plano de saúde, tendo que depender do SUS. Estou indignada com o descaso que ele vem sofrendo a quase cinco meses.
Ass. Janmilly Lorena de Castro, noiva do Cabo Douglas.