quarta-feira, 30 de abril de 2014

PMs do Bope trocam tiros com bandidos no Complexo do Alemão



Rio - Policiais do Batalhão de Operações Especiais (Bope) trocaram tiros, na tarde desta quarta-feira, com bandidos no Complexo do Alemão. Segundo a assessoria das UPPs, o confronto aconteceu na Rua 2, na Favela Nova Brasília.

Ainda não há informações sobre feridos. Os PMs fazem buscas pelos criminosos na região.

UPA atacada

Com o policiamento reforçado no Alemão, segunda foi dia de contabilizar prejuízos e tentar retomar a ordem após os protestos de segunda-feira que resultaram nos incêndios e na Unidade de Pronto Atendimento (UPA) saqueada. Pela manhã, enquanto os quatro ônibus queimados eram rebocados por guinchos, quem procurava o complexo de saúde local, composto pela UPA, o Centro de Atenção Psicossocial e a Clínica da Família, para consultas, era surpreendido pelas portas fechadas.


Janelas estilhaçadas e mobília quebrada lembravam os confrontos. As fiações expostas eram provas dos saques de equipamentos de informática, após Carlos Alberto Marcolino, 21, ter sido atingido por tiro no peito. Ele está no Hospital Getúlio Vargas em estado grave. Adilson da Luz, 21, e um menor, de 15, foram reconhecidos por funcionários e vão responder por dano ao patrimônio público.


Médicos pedem demissão


O secretário municipal de Saúde, Hans Dohmann, lamentou os estragos na UPA e a baixa na equipe médica: “As cenas de guerra fizeram com que dois médicos da UPA pedissem demissão durante o dia. Dois auxiliares de enfermagem ficaram feridos”, revelou o secretário.


Pacientes que permaneciam internados no local foram transferidos para os hospitais Souza Aguiar, Miguel Couto e Getúlio Vargas. A UPA foi parcialmente reaberta às 13h, como base para atendimento da Clínica da Família, que recebia pacientes mais graves.


De acordo com a mãe de Carlos Alberto, baleado, o filho protestava pacificamente pela morte da idosa, quando foi atingido.


“Meu filho é trabalhador. Ele tinha saído cedo do trabalho para levar o filho dele de três anos ao médico. Tenho certeza que o tiro partiu da polícia. Ele realmente participou de uma manifestação”, disse Sueli de Souza, de 52 anos.


Investigadores da Divisão de Homicídios (DH) recolheram quatro fuzis e duas pistolas de policiais que participaram do suposto confronto que vitimou Arlinda, mais conhecida como dona Dalva, na Nova Brasília. Os policiais civis também investigam de onde partiu o tiro que atingiu Carlos Alberto, no dia seguinte.


FONTE: O DIA

Crack e o exército de zumbis


O crack alastra-se por todo o País, destruindo vidas, famílias e sonhos. O Núcleo de Informação, Pesquisa e Banco de Dados da Coordenadoria de Políticas sobre Drogas (CPDrogas) acaba de divulgar o perfil dos usuários dessa popular e devastadora droga em Fortaleza. Segundo o levantamento, a maioria dos dependentes são homens, têm entre 19 e 45 anos de idade e baixa escolaridade. Uma pesquisa anterior, desenvolvida pela Central Única das Favelas (Cufa), apontou que, em 2013, existia, somente na capital cearense, cerca de 30 mil usuários de crack. Por fim, um terceiro levantamento, este feito pela Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz), ligada ao Ministério da Saúde, apontou que, no ano passado, o Brasil contabilizava a meta de 370 usuários de crack somente nas capitais brasileiras. É claro que esse número deve ser bem maior, afinal, por ser barata, essa droga está disseminada por cidades de pequeno e médio portes, trazendo consigo um rastro de violência, pobreza e destruição típicos de cenários degradados pelos tóxicos.

O crack precisa ser interrompido. A pesquisa da Fiocruz revelou o poder de destruição dessa droga: cerca de 40% dos usuários vivem nas ruas, ou seja, romperam ciclos sociais e familiares de maneira dolorosa e 30% das mulheres dependentes de crack já fizeram sexo para obter a droga, uma relação absolutamente degradante do ponto de visto físico, mental e espiritual. Por fim, uma última informação: os usuários têm oito vezes mais chances de contrair HIV justamente pelo comportamento promíscuo que a droga proporciona.

É por essas e outras que essa devastação do crack precisa ser interrompida. Campanhas de prevenção são importantes, assim como a disponibilização de tratamento, principalmente entre os usuários mais pobres. O exército de zumbis do crack cresce a cada dia, e cabe a todos – sociedade e governos – trabalhar para amenizar a crítica degradação social que essa droga representa.

EM HORIZONTE CE: Polícia troca tiros e prende suspeito por série de assaltos a vans

pc A Polícia Civil trocou tiros e prendeu em flagrante o suspeito de uma série de ataques a vans na BR-116, em Horizonte, Região Metropolitana de Fortaleza. Os  assaltos ocorreram durante a tarde desta quarta-feira (30).

Cerca de três vans que transportavampassageiros para o Interior do Estado foram atacadas por dois supeitos que entravam nos veículos se passando por usuários e anunciavam o assalto em algum momento da viagem, conforme informou o inspetor Fermon, da delegacia de Horizonte.

A Polícia Civil de Horizonte, no comando do delegado Kim Barreto, recebeu informações do crime e se deparou com a dupla realizando o 3º assalto. Os suspeitos tentaram fugir, houve troca de tiros e Francisco Rony Souda da Silva foi baleado e encaminhado ao Instituto Doutor José Frota (IJF). O outro suspeito fugiu e nenhum policial saiu ferido.

Foi apreendido um revólver calibre 38 e os pertences das vítimas foram recuperados. Motoristas, cobradores e passageiros foram até a delegacia para recuperar os bens.



Turistas trarão a própria polícia para o Brasil na Copa


Grandes grupos de torcedores estrangeiros que vierem ao Brasil assistir de perto à Copa do Mundo a partir de junho serão acompanhados pela polícia de seu próprio país durante a estadia em território nacional. Toda cidade-sede do Mundial onde houver grande concentração de torcedores de um determinado país terá um destacamento de policiais da mesma nacionalidade, para acompanhar de perto o grupo e servir de intermediário com a polícia brasileira no caso de alguma ocorrência ou problema envolvendo estes turistas.

O mesmo valerá para as cidades que, apesar de não serem sedes da Copa, possuem CTs (Centros de Treinamento) da Fifa e servirão de base para as seleções estrangeiras. De acordo com portaria do Ministério da Justiça publicada na semana passada no Diário Oficial da União, fica regulamentada a estrutura do Sistema Integrado de Comando e Controle para a Copa, e nela a presença das forças de segurança estrangeiras.

De acordo com a portaria do governo, os policiais estrangeiros nas ruas irão trabalhar identificados como tais e terão uma autorização específica da PF para isso. Apesar disso, questionado pela reportagem, o Ministério da Justiça afirma, por meio de sua assessoria de imprensa, que os policiais estrangeiros não terão poder de polícia no Brasil e nem poderão andar armados.

A estrutura centralizará em uma “sala de crise” informações, imagens e representantes das diversas esferas governamentais envolvidas na segurança da Copa — Polícia Militar, Polícia Civil, Polícia Federal, Forças Armadas, Defesa Civil e a Abin (Agência Brasileira de Inteligência), por exemplo — para acompanhamento da movimentação dos torcedores nas cidades durante a competição da Fifa e agilizar uma eventual tomada de decisões em caso de emergência. Haverá um centro de controle desses em cada uma das 12 cidades-sede, além de um centro nacional localizado em Brasília.

Dentro disso, foi criado o Centro de Cooperação Policial Internacional. Nele, uma equipe sediada em Brasília será responsável por dar apoio às equipes de polícia estrangeira espalhadas pelo país. A integração e comunicação com a Interpol e banco de dados de passaportes da Polícia Federal também estão previstos nesta operação, assim como canais diretos abertos com departamentos de polícia dos países que têm seleções participando da Copa.

Cada país participante da Copa recebeu o convite para enviar sete policiais para ajudar no Mundial. Assim, devem trabalhar no evento 224 policiais estrangeiros. “Eles atuarão como representantes do seu país no Centro, em Brasília e também acompanharão a partida dos seus países de dentro do estádio, auxiliando a interlocução dos órgãos de segurança pública e as torcidas”, disse o Ministério da Justiça em nota. O custo da operação é bancado pelo governo.

Qualquer ocorrência envolvendo torcedores estrangeiros deverá ser comunicada aos policiais de seu país na cidade em que estiverem e enviada para o centro de cooperação policial internacional, que cuidará do caso. O Ministério da Justiça não informou se o procedimento jurídico envolvendo torcedores estrangeiros será diferente em relação ao adotado com os cidadãos brasileiros.

O Brasil teria pedido uma lista de “barras bravas” com pendências judiciais ou proibidos de entrar nos estádios do país vizinho. Eles já provocaram incidentes na última Copa do Mundo na África do Sul, em 2010, quando foi registrada a morte de um torcedor argentino e a deportação de outros 29. Uma operação conjunta entre os dois países nas fronteiras também está prevista para impedir a entrada ilegal de possíveis arruaceiros.

Fonte: O Estado

terça-feira, 29 de abril de 2014

Racismo: Daniel Alves come banana jogada por torcedor em jogo do Barcelona






VILLARREAL, Espanha — Um fato inusitado marcou a vitória do Barcelona sobre o Villarreal, de virada, por 3 a 2, neste domingo. Aos 30 minutos do segundo tempo, um torcedor jogou uma banana no campo, numa suposta atitude racista. O lateral-direito brasileiro Daniel Alves caminhou até lá, pegou a fruta e comeu. O jogo foi em Villarreal.




Isto é um verdadeiro desrespeito à pessoa humana.




Jovem é baleado em confronto entre criminosos e PMs no Alemão, no Rio de Janeiro




Carlos Alberto Marcolino, de 21 anos, está com a bala alojada no pulmão. 

Criminosos invadiram UPA da comunidade e depredaram a unidade. 

Um jovem de 21 anos foi baleado durante a troca de tiros no Conjunto de Favelas do Alemão, na Zona Norte do Rio, na noite de segunda-feira (27). Carlos Alberto de Souza Marcolino foi atendido na Unidade de Pronto Atendimento (UPA) e transferido em seguida para o Hospital Estadual Getúlio Vargas, na Penha. Durante o confronto na Estrada do Itararé, criminosos invadiram o local e depredaram a unidade.


Segundo a mãe de Marcolino, o rapaz foi atingido no peito e a bala ficou alojada no pulmão. O jovem passou por uma cirurgia que durou três horas e meia e continuava internado no CTI do hospital na manhã desta terça. O estado de saúde dele é grave, porém estável. Como mostrou o Bom Dia Rio, a Polícia Civil informou que Marcolino não tem passagem pela polícia.


Segundo testemunhas, cerca de 20 pessoas invadiram a unidade. Imagens exibidas no Bom Dia Rio mostraram o estrago feito na sala de espera, nos equipamentos e na sala de exames. De acordo com a polícia, o ataque aconteceu depois que o rapaz ferido foi socorrido na Unidade


Alguns dos objetos usados para depredar a unidade foram levados para a delegacia da Penha, como pedaços de pau, barra de ferro e uma batata crivada de pregos. Adilson da Luz, de 21 anos, foi preso acusado de participar do ataque a UPA.PM x Criminosos


O clima era de aparente tranquilidade na manhã desta terça-feira, mas a noite foi de tensão no Conjunto de Favelas do Alemão. Criminosos atearam fogo em quatro ônibus e bloqueadram a Estrada do Itararé, um dos principais acessos da comunidade. Homens dos Batalhões de Choque e de Operações Especiais reforçaram o policiamento na região.


Nas redes sociais, moradores contaram que tiros foram ouvidos na comunidade desde as 20h45, principalmente na comunidade da Nova Brasília, que possui uma base de uma Unidade de Polícia Pacificadora.Polícia acredita em represália



Segundo a polícia, os ataques foram uma represália à prisão de dois chefes do tráfico na região. Um deles é Eduardo Procópio, o Piná, preso na Região dos Lagos. Na segunda, a polícia apresentou um traficante suspeito de participar dos assassinatos de dois policiais militares que trabalhavam em UPPs no Complexo da Penha.

LEIA MAIS...

FONTE: G1 RJ





Soldado do Exército é preso com maconha em Cascavel, no Ceará


Um soldado de 19 anos da ativa do Exército Brasileiro foi preso na tarde desta segunda-feira (28), com 205 gramas de maconha, em Cascavel, a 65 Km de Fortaleza. Segundo o Comando de Policiamento do Interior (CPI), o soldado foi abordado pela Polícia Militar em uma fiscalização.

A polícia informou que o soldado trafegava em uma motocicleta sem placa junto com um amigo adolescente. Policiais realizaram abordagem e acharam a droga dentro de uma mochila.

Os dois foram detidos e encaminhados para a Delegacia Municipal de Cascavel. O soldado do Exército Brasileiro foi autuado em flagrante por tráfico de droga, enquanto o adolescente liberado.

G1 CEARÁ

segunda-feira, 28 de abril de 2014

PMs voltam ao trabalho no AM após acordo com o governo



Chegou ao fim a greve dos policiais militares do Amazonas iniciada na noite de domingo. A decisão foi tomada no início da tarde de hoje, após uma reunião entre o governador do Amazonas, o secretário de segurança pública, o comandante da Polícia Militar e os representantes dos grevistas. O governo assinou um documento se comprometendo a resolver as pautas da paralisação nos próximos 60 dias.

Segundo a "ata da primeira reunião", o governo não classificou o movimento como uma greve, mas sim como um manifesto. Por esse motivo, segundo o documento, ninguém que participou do ato será punido. O documento firma ainda um compromisso de, nos próximos 60 dias, implementar uma lei de carreiras e um código de ética, além de modificar os parâmetros para a concessão de Gratificação de Trabalho Extra (GTE), mudanças no tempo das escalas de serviço, criação do auxílio alimentação e auxílio moradia para policiais lotados no interior. 

Com a assinatura do documento e a abertura de diálogo, além da anistia aos policiais grevistas, a categoria decidiu voltar ao trabalho. No entanto, policiais ouvidos temem a represália velada, como transferências para o interior do Estado. Contudo, no geral, a categoria ficou satisfeita com o que ficou acordado. "Amanhã já teremos nova reunião com o governo para iniciarmos as mudanças", disse por telefone Platiny Soares, presidente da Associação dos Praças do Estado do Amazonas (Apeam). Segundo a associação, mais de 2 mil policiais aderiram ao movimento.

FONTE TERRA

Níveis de investigação para resolver crimes são baixos



IMAGEM ILUSTRATIVA FONTE: GOOGLE


Os níveis de investigação criminal para resolver crimes são baixos. A maior parte dos detentos de São Paulo foi presa em flagrante e não por causa de investigação. A constatação é o resultado da pesquisa divulgada nesta semana, pela Fundação Getulio Vargas. Ao todo, 65,8% dos presos foram detidos no dia em que cometeram o delito. 

Quando analisado o crime de roubo, a porcentagem de presos no próprio dia da ocorrência é ainda maior: 78,2%, o que pode indicar baixo nível de investigação criminal no Estado. Para um dos coordenadores do projeto, José de Jesus Filho, da Pastoral Carcerária, esses dados apontam que as pessoas estão sendo presas de forma errada no país. "A investigação no Brasil não acontece. Nós não prendemos o criminoso do colarinho branco, não prendemos o corrupto ou as lideranças do tráfico de drogas", afirmou Jesus Filho ao jornal O Estado de S. Paulo.

Em relação ao processo, só uma pequena minoria dos entrevistados conseguia entender muito (13,5%) ou mais ou menos (14,7%) do que estava acontecendo nas audiências. A maioria entendia pouco ou nada das audiências e do processo judicial.

Além disso, o estudo mostrou que existem variações significativas na duração dos processos de acordo com o tipo de crime pelo qual foram condenados. Os condenados por homicídio doloso tiveram os processos mais longos (média de 24,9 meses) e aqueles condenados por furto/furto qualificado tiveram os processos mais curtos (média de 8,8 meses).


A pesquisa também levou em conta a corrupção usada para evitar prisões. Entre os entrevistados, 62,6% deles disseram que poderiam ter evitado a prisão se tivessem recursos para corromper a polícia e 31,8% dos entrevistados disseram que a polícia realmente pediu dinheiro ou algum pertence a partir do momento da prisão até a sentença.




No Judiciário, a proporção de presos que relatou algum pedido de dinheiro ou de algum bem por parte de juiz é quase nula (0,3%). Segundo a pesquisa, isso indica uma instituição judicial muito menos inclinada a este tipo de corrupção.

Cor da pele

A maioria dos policiais militares da capital envolvidos em ocorrências com mortes são brancos (79%), entre 25 e 39 anos (73%) e homens (97%). Já quanto às vítimas, a maioria é de negros (61%), menores de 24 anos (57%) e homens (97%), segundo noticiou a colunista Mônica Bergamo, da Folha de S.Paulo.

Os números foram coletado em pesquisa da Universidade Federal de São Carlos (UFSCar) que entre 2009 e 2011 analisou 734 processos com 939 vítimas. A coordenação foi feita pela professora Jacqueline Sinhoretto. Em relação a cor da pele, a população do estado é formada por 30% de afrodescendentes, mas há três vezes mais negros mortos do que brancos. Só 1,6% dos autores foi indiciado. Para 98% deles, as investigações apontaram que não houve crime ou que agiram em legítima defesa.

Em nota, a Secretaria da Segurança Pública informou que vai avaliar os dados do estudo para decidir se eles "podem subsidiar aprimoramentos das políticas públicas de segurança". Declara também que "os policiais são preparados para lidar com a diversidade racial e que, na PM, cerca de 40% dos homens são afrodescendentes".


Fortaleza: Mulher é morta com 16 tiros por dupla ao descer de ônibus, no Canindezinho

Uma mulher foi morta  após ser atingida por 16 tiros, ao descer de um ônibus da linha Planalto Vitória/ Jardim Fluminense. O homicídio aconteceu na manhã desta segunda-feira (28), por volta de 10h, no bairro Canindezinho.
 
Luciele de Santana Nunes, 22, foi abordada por uma dupla, que estava em uma moto. A polícia suspeita que uma mulher, passageira do veículo, tenha cometido o assassinato. Segundo o delegado Leonardo Barreto, da Divisão de Homicídio e Proteção à Pessoa (DHPP), o motivo do crime seria passional.
 
Luciele chegou a ser socorrida e levada por populares à uma Unidade de Pronto Atendimento (UPA), mas chegou ao hospital sem vida. A polícia está realizando buscas nas proximidades de onde aconteceu o crime, atrás dos suspeitos.

Equipe do Batalhão RAIO apreende três pistolas no interior de veículo

Corolla
Três pistolas foram apreendidas por uma equipe do Batalhão de Rondas e Ações Intensivas e Ostensivas (Raio) dentro de um Corolla na Avenida Washington Soares em uma ocorrência distinta. Segundo informações do coronel Sergistótenes, o material será encaminhado à Delegacia de Roubos e Furtos de Veículos e Cargas (DRFVC). 

PM apreende fuzil AK-47 e 300 munições em Messejana

fuzil 



A patrulha da Força Tática de Apoio (FTA) do 16º Batalhão apreendeu um fuzil AK-47 com mais de 300 munições após perseguição na tarde desta segunda-feira (28), em Messejana.
A perseguição ao automóvel Siena Brancocomeçou no Conjunto Palmeiras e  terminou em uma estrada carroçável, quando os policiais atiraram no pneu do veículo nas proximidades do viaduto de Messejana, conforme informou o comandante do 16º Batalhão da Polícia Militar (BPM), coronel Sergistotenes.


O motorista do Siena, Ocilon Pergentino dos Santos, foi detido e encaminhado ao 6º DP(Messejana), com o armamento. o fuzil AK-47 é uma arma de guerra de uso restrito das Forças Armadas. O fuzil custa uma média de R$ 50 mil. O armamento é capaz de derrubar umhelicóptero e furar blindados.



Ainda de acordo com informações do coronel Sergistotenes, o motorista responde na Justiça por tráfico de drogas.

Ceará: Faltam 47 Cadeias Públicas e 90 Delegacias no Interior


Conforme a Lei Federal de Execuções Penais e a Lei Estadual 12.342 - o Código de Divisão e Organização Judiciária do Ceará - todo Município deve ter uma Cadeia Pública. Pode parece estranho que alguma cidade do Estado não tenha este equipamento, mas a verdade é que 47 cidades não possuem nenhum tipo de unidade prisional, para custódia de detentos. Para piorar a situação, 90 municípios cearenses não têm delegacias.

Imagine ter que viajar para registrar um procedimento simples como um Boletim de Ocorrência (B.O.). Pois é assim que os moradores de 90 cidades cearenses precisam agir para terem seus direitos de usufruir dos serviços públicos garantidos.

O descumprimento às Leis, tem gerado problemas maiores e alguns magistrados já estão se negando a receber presos oriundos de outras cidades, por conta da superlotação das unidades. A sensação de falta de proteção, de ausência de Justiça e de Segurança Pública é grande no Interior.

Deslocamento

A advogada Delma Feitosa, nomeada defensora pública do Município de Aiuaba, na Região dos Inhamuns, disse que os problemas gerados pela falta de cadeia e delegacia são muitos, mas o mais grave é a dificuldade encontrada pelos servidores do Poder Judiciário para manterem contato com o preso.

"Qualquer procedimento, por simples que seja, exige um deslocamento. Até para obter a assinatura de um preso em uma procuração, por exemplo, é preciso que se faça uma viagem para Arneiroz, Tauá ou até Fortaleza. A situação desses réus é muito prejudicada, não só no andamento do processo, que se torna mais lento, por conta da distância entre as partes; mas também em relação a proximidade com a família, que nem sempre tem como vê-los".

Em Aiuaba nunca houve delegacia de Polícia Civil. A Cadeia Pública funcionou durante anos em um cubículo sem entradas de ar adequadas e com um banheiro improvisado. Depois que o prédio foi interditado, os presos passaram a ser custodiados no imóvel onde funcionava o antigo Fórum, instalado em frente à praça mais movimentada da Cidade, em pleno Centro.

Segundo Delma Feitosa, a falta de segurança do prédio e o costume que as pessoas adquiriram de conversar e entregar bebidas alcoólicas e cigarros aos presos, fez com que a Cadeia fosse desativada, em 2005. Desde lá não há um lugar específico para abrigar detentos. "Os prédios precisavam mesmo serem interditados, porque não ofereciam condição nenhuma para abrigar alguém. O problema é que o Estado não apresentou alternativa para a interdição. Ficamos sem ter o que fazer com nossos presos", afirmou a advogada.

A defensora disse ainda, que não tem conhecimento que a Secretaria de Justiça e Cidadania do Estado (Sejus) tenha dado qualquer justificativa para a falta do equipamento nesses quase 10 anos. "Os juízes têm muito boa vontade. Oficiam, solicitam, denunciam a situação. Porém, nunca chegou resposta alguma por parte do Estado ao Fórum, que eu tenha conhecimento".

Sobre a falta de delegacia, Delma considera que alguns delitos poderiam ser evitados, só pelo fato dos criminosos terem noção da proximidade da Polícia. "Algumas pessoas cometem crimes leves com certa reincidência, porque não sentem a presença da Polícia. Sabem que é necessário que a equipe da Polícia Civil de Tauá seja mobilizada para que um B.O. Seja lavrado contra eles. A dificuldade que a população encontra para registrar um crime é alta, por isso a maioria prefere não se dar ao trabalho".

Sem estrutura

Em Santana do Cariri (556Km de Fortaleza), o problema é ainda maior. Segundo um funcionário do Fórum da Cidade, além de não ter Cadeia Pública e delegacia, a PM também enfrenta dificuldades para desempenhar suas funções.

"Santana não tem nem viatura. A Prefeitura disponibilizou um automóvel para fazer as vezes de viatura; paga uma casa para que o destacamento da PM local funcione; custeia o telefone e a comida dos militares. Caso a Prefeitura corte estes gastos, que não são da responsabilidade dela, a PM não terá a mínima condição de atuar aqui", afirmou um servidor do Fórum, que pediu para não ser identificado.

Os presos de lá eram levados para a Cadeia de Nova Olinda, mas a unidade está superlotada e agora eles são deslocados para Altaneira. "Estamos enchendo as unidades das outras cidades e isto já causa incômodo. Vai chegar a hora em que ninguém vai poder ser preso aqui, porque não terá para onde ir".

O funcionário público disse ainda, que nenhum defensor público, promotor ou oficial de Justiça têm seus deslocamentos custeados pelo Estado. "Ouço queixas frequentes aqui no Fórum de quem precisa pagar de seu próprio bolso as despesas com combustível e alimentação, para visitar um preso que está em outra cidade", denunciou.

O promotor de Justiça, David Moraes da Costa, que responde pelos Municípios de Altaneira, Santana do Cariri e Farias Brito, ambos na Região do Cariri, disse que o fenômeno da subnotificação percebido em Aiuaba por Delma Feitosa, também acomete Santana. "Os crimes acontecem e nós ficamos sabendo extraoficialmente, mas a maioria não é registrado pelas vítimas. As pessoas não acreditam que a Polícia vá resolver estando distante".


Polícia e Sejus afirmam que estão trabalhando para diminuir o déficit

De 2007 até agora, 17 Cadeias Públicas foram construídas no Ceará, o que significou um acréscimo de 889 vagas no Interior, conforme informações da Secretaria de Justiça e Cidadania do Estado (Sejus). Segundo a instituição, está programada a inauguração, ainda este ano, de uma unidade em Juazeiro do Norte. "Estão ainda sendo licitadas, unidades em Crateús, Aracati, Tianguá, Quixadá e Caucaia, que totalizarão mais 1.243 vagas em cadeias públicas", informou.

Sobre a situação da estrutura e população carcerária nas Cadeias que já existem no Interior, a Sejus diz que "reconhece que ainda há unidades em situações emergenciais e tem trabalhado para sanar estes problemas. É um desafio acompanhar o crescimento da população carcerária no Estado, que chega a quase 10% ao ano".

Segundo a Secretaria de Justiça, a construção de cadeias dependem de alguns requisitos. "A decisão pela localização de uma unidade prisional é feita pela Sejus, a partir de análise da demanda existente. Para a construção de uma nova unidade, é preciso também que o município dê como contrapartida um terreno dentro das especificações de construção definidas pelo Conselho Nacional de Política Criminal e Penitenciaria (CNPCP)".

A Sejus explica que as cadeias são estruturas montadas para abrigar presos provisórios mas recebem muitos presos condenados. "Pela jurisprudência, o prazo razoável para a prisão provisória é de 90 dias. No entanto, são raros os processos em que esse prazo é respeitado, e esse descompasso entre a prisão e o tempo de julgamento gera a superpopulação carcerária. Depois deste prazo, os presos deveriam ser distribuídos em presídios regionais, que acabam não sendo por conta de outro problema: as autorizações judiciais".

A instituição disse também, que não são todos os magistrados que autorizam a entrada de detentos oriundos de outras comarcas, nas que eles representam. "Isso pode ocasionar que algumas unidades fiquem com excedente de presos enquanto outras com vagas ociosas. A Sejus busca manter o diálogo com os magistrados".

Polícia Civil

Segundo o delegado geral da Polícia Civil, Andrade Júnior, de 2007 até agora foram inauguradas 44 delegacias no Interior do Ceará. Para Andrade este é o crescimento mais expressivo dos últimos tempos, já que em anos anteriores já havia sido, inclusive, fechadas unidades municipais por falta de efetivo.

"Diante da quantidade de delegacias que existiam e que existem hoje, este número representa um aumento de 100% no número de unidades. Fizemos o máximo que pudemos para diminuir o déficit de unidades, gerado nos últimos 20 anos".

Conforme o delegado geral, as cidades que vão receber as delegacias são escolhidas diante de sua posição geográfica. "É utopia dizer que todas as cidades terão delegacias. O ideal seria isto, mas não está dentro da nossa realidade. Então, escolhemos pontos que possam atender o máximo de pessoas. Quando instalamos uma delegacia em um ponto, ela irá comportar a demanda das cidades vizinhas".

Perto

Andrade Júnior lembra que a população deve estar perto da Polícia Judiciária. "O delegado é uma figura importante, responsável legal por homologar e investigar procedimentos denunciados pela sociedade. Seria bom que tivéssemos delegados em toda Cidade, mas nenhuma instituição - Polícia Civil, Defensoria Pública, Tribunal de Justiça, Ministério Público - tem efetivo suficiente para isto".

MPE: "Este é um problema antigo"

A situação de falta de estruturas para abrigar presos é bastante difícil e está em todo o Ceará, inclusive na Capital, segundo a promotora de Justiça Camila Barbosa, da 3ª Promotoria de Execuções Penais de Fortaleza. Barbosa disse que o problema é antigo e que já houve tempo mais que suficiente para que fosse totalmente solucionado.

Segundo ela, somente um presídio atende a Fortaleza e Região Metropolitana, todo o restante das unidades são Cadeias Públicas. "Os presídios são destinados a receber presos em regime fechado e as cadeias, presos provisórios. O problema é que o único presídio que temos na RMF, está 30% acima de sua capacidade. Por conta disto, os presos condenados são misturados aos provisórios e isto dificulta a ressocialização, por exemplo. Cada preso precisa estar no espaço adequado para ele".

Conforme a representante do Ministério Público Estadual (MPE), a criação das Cadeias Públicas no Interior era o primeiro passo para desafogar as unidades da Capital, além de serem estruturas totalmente necessárias em cada Município. "Muitos presos que estão aqui são oriundos de outros Municípios. Se lá tivesse a Cadeia não precisaríamos recebe-los".

Segundo Camila, o flagrante descumprimento das leis neste sentido, tem acarretado outros problemas como o avanço da violência. "A Lei de Execuções Penais entrou em vigor no ano de 1984 e trinta anos depois não é cumprida efetivamente. Não adianta dar desculpas, nem mudar nomes de penitenciárias se a estrutura é a mesma. Precisamos de medidas que tenham resultados práticos".

Ela disse ainda, que o promotor de Justiça de cada Município deve proceder da forma que achar correta para que o problema seja sanado. "Cada um deve adotar a postura que lhe pareça correta, que pode ir desde uma recomendação até o ajuizamento de uma Ação Civil Pública (ACP)", afirmou.

David da Costa, promotor de Santana, disse que depois de oficiar várias vezes a Sejus, sem resposta, irá encaminhar uma recomendação ao Poder Judiciário. Caso não seja atendido, irá mover uma ACP. "Já oficiei a Secretaria de Segurança Pública (SSPDS) e a Sejus. A SSPDS me deu resposta dizendo que não tem previsão para a inauguração de uma delegacia em Santana; a Sejus nem isto, simplesmente ignorou. Eu não tenho mais saídas a não ser mover estas ações". Ele contou também, que a Cadeia Pública de Santana está sendo reformada há anos. "A obra está totalmente parada, por um tempo injustificável".







Mulher é atingida por tiro durante assalto em Fortaleza


Crime ocorreu no Bairro Álvaro Weyne.
Duas pessoas participaram do assalto. Um adolescente foi preso.

Uma mulher de 49 anos levou um tiro no ombro em uma tentativa de assalto na noite deste domingo (27), no Bairro Álvaro Weyne, em Fortaleza. De acordo com o Comando de Policiamento da Capital (CPC), a mulher estava entrando em seu veículo, quando foi abordada por duas pessoas em uma motocicleta. Ela entregou a bolsa e celular, mas mesmo entregando os pertences, um dos assaltantes fez o disparo.

O CPC informou que uma equipe do Ronda do Quarteirão passava pelo local e realizou uma perseguição. Um adolescente de 16 anos foi detido. Segundo a Polícia Militar ele estava armado com um revólver calibre 32.

O adolescente foi encaminhado para a Delegacia da Criança e do Adolescente (DCA), no Bairro São Gerardo, na capital. A mulher foi socorrida por uma ambulância do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu 192) e levada para o hospital, mas não corre risco de morte.

Grupo de PMs bloqueia via ao lado de estádio da Copa em protesto no AM

Ms bloquearam via durante protesto na manhã desta segunda (Foto: Adneison Severiano/G1 AM)


Policiais protestam deste a madrugada por melhorias trabalhistas.
Movimento se concentra em rua ao lado da Arena da Amazônia, em Manaus.

Um grupo de policiais militares bloqueou a Avenida Lóris Cordovil, na Zona Centro-Sul de Manaus, na manhã desta segunda-feira (28). Eles protestam desde a madrugada, quando anunciaram a paralisação das atividades no Amazonas até que sejam negociadas melhorias trabalhistas.Segundo a Associação dos Praças do Estado do Amazonas (Apeam), cerca de 1 mil PMs participam do movimento que se concentra na Arena Amadeu Teixeira, que fica ao lado da Arena da Amazônia, estádio de Manaus para a Copa do Mundo. O governador José Melo deve ser reunir com uma comissão do movimento na manhã desta segunda.


O protesto teve início na madrugada desta segunda, quando mais de 500 PMs se concentraram em frente à Arena da Amazônia. Horas antes, o Comando-Geral da PM-AM, havia descartado a paralisação durante coletiva com a imprensa local.

Ainda na madrugada, os manifestantes tiveram acesso à área interna da Arena Amadeu Teixeira. "Vamos permanecer aqui até o governador [José Melo] vir conversar conosco", disse o presidente da Apeam, Platiny Soares Lopes.

Segundo Lopes, o total 8, 5 mil policiais aderiram ao movimento. "Entre eles há cabos, sargentos e subtententes", afirmou.

A Agência de Comunicação do Governo do Amazonas (Agecom) informou que o governador José Melo deve se reunir com integrantes do movimento para debater as pautas da manifestação.Trânsito

Agentes do Instituto Municipal de Engenharia e Fiscalização do Trânsito (Manaustrans) monitoram o tráfego na Avenida Constantino Nery, via que também dá acesso à Lóris Cordovil. A Constantino é uma das principais avenidas de Manaus. A via também dá acesso à Arena da Amazônia e ao Centro da capital.

O protesto causa lentidão no trânsito desde a Avenida Max Teixeira, na Zona Norte, até a Avenida Constantino Nery. O Manaustrans está desviando o tráfego de veículos que tentam acessar o Centro de Manaus pela Avenida Torquato Tapajós - via que liga a Max Teixeira à Constantino Nery. O desvio para a Djalma Batista começa na Avenida Desembargador João Machado e viaduto de Flores.

O Manaustrans chegou a liberar o tráfego em parte da faixa azul, linha que separa o tráfego de ônibus do transporte público na Constantino Nery.

FONTE: G1 AMAZONAS


domingo, 27 de abril de 2014

Fortaleza: Veículo é furtado em frente a Delegacia Geral

polícia civilPassava das 22h e as últimas lojas do Centro da cidade fechavam suas portas. Duas mulheres, uma loira e uma de cabelo escuro, estavam, sozinhas, na Praça dos Voluntários, em frente ao prédio da Delegacia Geral da Polícia Civil. Uma delas, usando uma chave, destravou e saiu guiando um carro, estacionado também em frente à Delegacia.
O carro, entretanto, havia sido apreendido no último dia 14. A mulher de cabelo escuro, sem levantar suspeitas, furtou o veículo e saiu como se nada tivesse acontecido. Até o momento, ela continua foragida e o carro ainda não foi recuperado.
A ação audaciosa evidencia problemas no entorno do prédio, que deveria remeter a um sentimento de segurança. Há relatos, inclusive, de comerciantes que já foram assaltados "com arma na cabeça" na praça.
Nome falso
O carro, um Focus preto, de placas NQO-1112, foi apreendido por ter sido financiado de maneira fraudulenta, segundo relatou o titular da Delegacia de Defraudações e Falsificações (DDF), Jaime Paula Pessoa. "O homem adquiriu o veículo utilizando um nome falso. Quando a equipe foi abordá-lo, simplesmente abandonou o veículo e saiu correndo. O carro foi apreendido, e o homem fugiu", explicou o delegado. Ao ser apreendido pela Polícia, o Focus ficou estacionado em frente à Praça dos Voluntários, juntamente com outros veículos em situação semelhante.
A DDF investiga o caso e já sabe que o dono do veículo, acusado de estelionato, está por trás do furto. "Sabemos que essa mulher (de cabelo escuro) é casada com o dono do carro. Porém, ele usou um novo nome falso para a documentação do matrimônio. Ele é casado, no nome dele de verdade, com outra pessoa. Estamos identificando e vamos pedir a prisão preventiva dos três", assegurou o delegado.
Uma mulher suspeita foi intimada à Delegacia de Defraudações na manhã da última sexta-feira (25). Entretanto, não foi reconhecida e, acabou liberada.
Comerciantes
Em meio a um turbilhão de comerciantes ávidos e produtos expostos para atrair a atenção dos populares, a Delegacia Geral da Polícia Civil encontra-se rodeada por estabelecimentos dos mais diversos tipos. Lanchonete, banca de revista, vestuário.
Os ramos de negócios são diferentes, mas a reclamação é a mesma: a Praça dos Voluntários, embora situada em frente para ao prédio da Polícia, está abandonada. "Só o prédio em si não representa nada. Ninguém respeita. Eu já fui assaltada durante o dia, com arma na cabeça. Minha loja já foi arrombada. À noite, aqui fica entregue às baratas. A Praça está abandonada. A única reforma que vi aqui foi quando pintaram as cores da gestão antiga para as cores da nova", afirmou a comerciante Fátima Luz, 50.
Fátima reitera que não percebe apoio policial em termos de cuidados ou atenção ao espaço público. "Polícia, aqui, não existe. Alguns até passam de bicicleta mas se estivermos sendo assaltados, nem dá tempo de chamar", desabafou a comerciante, que confessa estar desesperançosa em uma resolução para o problema. "O comerciante é quem tem que se virar", disse, lembrando que, para manter a segurança, paga, juntamente a outros comerciantes, um vigia para ficar dando voltas na Praça, pelo menos, à noite.
Quem também critica a maneira como a Praça é vista pelo poder público é a comerciante Márcia Freitas, de 40 anos. Ela revela enxergar problemas além dos assaltos. "É um absurdo essa praça. Aqui você vê briga de vez em quando (ver matéria coordenada). Já vi delegado ter de descer para separar pessoas alcoolizadas que brigavam aí em frente. Aqui não tem segurança. Da Polícia, vemos apenas os carros parados", dispara.

sábado, 26 de abril de 2014

Insegurança: Igrejas em Canindé são alvo de assaltantes

ASSALTO EM IGREJAS
Canindé. Conhecida pelas romarias, esta cidade, situada no Sertão Central do Ceará, vem enfrentando uma onda de arrombamentos nos últimos meses. O mais novo alvo dos ladrões, foi a Igreja de Nossa Senhora das Dores, localizada ao lado da Praça Nem Martins, no centro comercial da cidade. A instituição já foi arrombada pela quarta vez.
A última vez que ocorreu o fato foi no dia 7 de abril deste ano. Segundo o chefe do setor de segurança da paróquia, sargento Oliveira, as pessoas que estão agindo nesse tipo de crime são profissionais. "Mesmo com o sistema de segurança do templo religioso, eles conseguiram arrombar os cadeados e entrar na igreja, sem deixar vestígios".
Conforme informações destacadas nos boletins de ocorrências prestados na Polícia, os roubos às igrejas de Canindé, começaram exatamente no dia 14 de novembro de 2011. No ano passado pelo menos seis instituições religiosas foram arrombadas no município, entre católicas e evangélicas, situadas em vários bairros da cidade.
Cofres
Como as homenagens a São Francisco, que começam depois da eleições deste ano, já movimentam a cidade as doações colocadas em cofres, viraram alvo da cobiça dos ladrões. A cidade é considerada o maior centro de peregrinação no Brasil, de devotos de São Francisco, com uma média de dois milhões de fiéis.
A Igreja de Cristo Rei, no Bairro do Monte, também já foi arrombada. Na mesma avenida onde estão localizadas duas igrejas na cidade, fica a Delegacia Regional de Polícia Civil de Canindé.
A proximidade com a Polícia e as grades que cercam as Igrejas de Nossa Senhora das Dores e de Cristo Rei não foram suficientes para impedir os ladrões de invadir a igreja, que foi roubada duas vezes em menos de uma semana em 2011.
De lá, foram levados dinheiro e equipamentos de som utilizados nas missas. A Igreja de Nossa Senhora das Dores foi alvo de quatro tentativas de assalto. Os suspeitos entraram, mas não encontraram nada de valor. No Convento das Irmãs Clarissas, o primeiro roubo em 17 anos, foi registrado no dia 12 de novembro de 2011 e mudou a rotina das freiras. A capela, que estava sempre aberta, foi fechada com grades para proteção.
"Eles pegaram o cofre. Eu acredito que não foi só um, para pular um muro desses. Tiraram o dinheiro e deixaram o cofre lá", afirmou a irmã Ana Clara.
Nem a principal igreja da cidade, a Basílica de São Francisco, escapou da ação dos marginais. No dia 12 de dezembro de 1999, um bandido ficou dentro do templo sagrado, depois da missa das 18 horas para levar todo dinheiro do cofre, mas acabou preso por policiais militares. Mesmo assim, a segurança foi reforçada, no local, por câmeras e vigilância particular.
"Eles chegam com ferramentas pesadas, que abrem qualquer coisa que querem. É triste a pobreza espiritual, a fragilidade humana que está na nossa juventude", criticou o pároco, Frei João Hamilton dos Santos.
As pessoas estão assustadas com tantos assaltos. "Se estão atingindo até na casa de Deus, imagine nas casas das pessoas", disse a professora Maria Almeida. Para quem visita à cidade, é uma surpresa. "A gente chega aqui e não sabe como são as coisas. Pensa que está seguro dentro de uma igreja. Quando vai ver não está", diz a turista Roberta Santiago Abreu Dias, de Santana do Acaraú.
O comandante do 4º Batalhão de Polícia Militar de Canindé, tenente-coronel Natanael Cavalcante, disse que existe uma equipe do serviço reservado nas ruas para identificar esses delinquentes, que na sua maioria são menores, segundo ele. "Estamos 24 horas nas ruas da cidade e sempre dando uma resposta a sociedade, quanto aos ladrões das igrejas, será uma questão de tempo para colocarmos as mãos nesses meliantes", finalizou.

Grande Bom Jardim: Movimento pede fim da violência

Image-0-Artigo-1599267-1
Com o objetivo de chamar a atenção pública para a violência contra a juventude e principalmente da periferia, ocorreu na tarde de ontem a Caravana contra a Violência e o extermínio da juventude pobre e negra. A concentração aconteceu na Praça da Juventude na Granja Portugal, na Rua Emílio de Menezes. A caminhada seguiu até a Praça de Santa Cecília, na Granja Lisboa.
Outros pontos de reivindicação como fortalecimento das atividades e da programação do Centro Cultural Bom Jardim, entrega da Praça da Juventude da Granja Portugal e do miniestádio e o fim da violência policial e abordagens constrangedoras.
De acordo com dados da Prefeitura de Fortaleza e do governo do Estado, em 2013 forram assassinadas 2.754 pessoas na região metropolitana, 1.998 somente na Capital.
Mais da metade dos homicídios são de jovens entre 15 e 24 anos e 90% correspondem ao sexo masculino, como destaca o Mapa da Violência 2013, com informações até 2011. Somente no Grande Bom Jardim, de 2007 a 2012, 500 jovens foram assassinados.
O evento foi organizado por instituições que compõem a rede territorial do Grande Bom Jardim (Rede Delis) e conta com apoio de diversas escolas e organizações não governamentais (ONGs).
Segundo Caio Feitosa membro da comissão de organização do evento o intuito procurou motivar o maior número de pessoas. "Fomos nas escolas realizar rodas de conversa com os estudantes para mostramos que essa realidade pode mudar, mas que é preciso chamar atenção pública", relata.
Paz
O estudante Lucas Silva Sá, 16, conta ter participado da caminhada para disseminar a paz. "A gente está aqui, primeiramente, para promover a paz. Os jovens são os que mais matam e os que mais morrem e isso precisa parar. Quero que nos enxerguem, por isso estou lutando", diz.
A também estudante Maira Nascimento Alves, 17, reivindicou mais segurança. "Vim dar ajuda ao movimento. Apesar de não morar no Bom Jardim, eu estudo aqui e por isso quero mais paz e segurança", afirma.

Estudante de Direito chefiava tráfico em Fortaleza

drogas
A operação da Polícia Federal (PF), desencadeada no fim da noite da última quinta-feira (25), que apreendeu 110 quilos de pasta base de cocaína, revelou que um estudante de Direito era o responsável por distribuir a droga a traficantes "medianos" de Fortaleza. As informações sobre a apreensão da droga foram obtidas com exclusividade e divulgadas na edição de ontem do Diário do Nordeste, logo após a prisão dos quatro homens, em Aquiraz, na Região Metropolitana da Capital.
Foram presos pela PF um paulista, de 36 anos, este universitário do curso de Direito e apontado como o chefe do grupo; um mineiro, de 28 anos, que estava na casa onde a droga seria entregue, além de um mato-grossense e um paranaense, ambos de 49 anos, que trafegavam na caminhonete, trazendo a droga do Mato Grosso para o Ceará.
A cocaína estava escondida dentro de um compressor, que era conduzida na caçamba de uma caminhonete Ford F-250. Além dos 103 'tijolos' de pasta base, os federais apreenderam dois veículos, uma máquina de contar dinheiro, duas balanças de precisão e ligas de borracha.
Histórico
 
 
Segundo a PF, os quatro homens já possuem passagem na Justiça por tráfico de drogas. O paranaense, inclusive, era fugitivo do sistema penitenciário do Rio Grande do Norte. Ontem, na sede da Superintendência Regional da PF no Ceará, em Fortaleza, o delegado responsável pela Delegacia de Repressão a Entorpecentes (DRE), Janderlyer Gomes, deu mais detalhes sobre os trabalhos dos agentes.
De acordo com o delegado, as investigações em cima do estudante universitário duraram cerca de quatro meses. Populares denunciaram a atividade ilícita e a Polícia fechou o cerco. "Já vínhamos monitorando o estudante de Direito, que é paulista, mas morava em Fortaleza. Denúncias anônimas nos levaram até ele, que é sócio de uma empresa de importação. O poder aquisitivo dele era incompatível e isso nos chamou a atenção", explicou o titular da DRE.
Segundo Gomes, os entorpecentes seriam distribuídos pelo paulista a traficantes de médio porte na Capital. "Ele ia alimentar o mercado de Fortaleza. O universitário era quem recepcionava esta droga e a transferia a traficantes", garantiu o delegado Janderlyer Gomes.
Os quatro homens presos na operação foram autuados em flagrante na DRE por tráfico interestadual de entorpecentes e associação para o tráfico. A pena para o primeiro crime é de cinco a 15 anos de reclusão. No caso de associação, o suspeito, se condenado, pode pegar de três a dez anos de prisão.
O titular da DRE avaliou o valor da droga retirada de circulação. "Esta droga vale R$ 1,65 milhão. Estes 110 quilos seriam desdobrados, através de processo químico, em três vezes o seu peso", explicou. Gomes ressaltou que as investigações sobre a atuação da quadrilha de traficantes continuam. Segundo dados da PF, em 2014, já são 400 quilos de cocaína apreendida, no Estado. Em 2013, foram mais de uma tonelada retirada de circulação pela PF no Ceará.
Mês
Esta já foi a quarta apreensão de drogas feita pela Polícia Federal no Ceará, somente neste mês de abril. O mês, inclusive, já é responsável por mais da metade de toda a droga apreendia no Estado neste ano de 2014.
No dia 4, foram encontrados 200 quilos de pasta base de cocaína escondidos no tanque de combustível de um veículo Scania, que possuía placas do Paraná, no km 158 da BR-116, no município de Russas, a 165 km de Fortaleza. Na ocasião, um homem de 42 anos natural do Mato Grosso do Sul transportava a carga e foi preso. O motorista, de nome não divulgado, já tinha passagens pela Polícia.
Aeroporto
Já no dia 13 de abril, um domingo, a Polícia Federal prendeu um homem, de 24 anos de idade, no Aeroporto Internacional Pinto Martins, na Capital, após desembarcar de voo procedente de Goiânia. Ele transportava 12 kg de cocaína em sua bagagem.
Após vistoria da mala do homem, foram detectados os 12 kg de pasta base de cocaína embalados em saco plástico.
Já no último dia 23, um francês de 35 anos foi preso também no Aeroporto Internacional Pinto Martins. Conforme a PF, o homem foi abordado durante uma fiscalização de rotina, quando foram encontrados 6,6 kg de cocaína em sua bagagem. O estrangeiro, que não teve sua identidade divulgada pela PF, tentava embarcar para Lisboa.

policia

sexta-feira, 25 de abril de 2014

Morte de coronel Paulo Magalhães pode ser queima de arquivo


Morte de coronel Paulo Malhães pode ser queima de arquivo MARCOS ARCOVERDE/ESTADÃO CONTEÚDO

O presidente da Comissão Estadual da Verdade (CEV) do Rio de Janeiro, Wadih Damous, comentou na tarde desta sexta-feira a morte do coronel reformado do Exército Paulo Malhães, cujo corpo foi encontrado no sítio em que morava, em Nova Iguaçu, com sinais de asfixia, segundo a Polícia Civil. Para Damous, o assassinato pode ter sido "queima de arquivo".

– Na minha opinião, é possível que o assassinato do coronel Paulo Malhães tenha sidoqueima de arquivo. Ele foi um agente importante da repressão política na época da ditadura e era detentor de muitas informações sobre fatos que ocorreram nos bastidores naquela época. ê preciso que seja aberta com urgência uma investigação na área federal para apurar os fatos ocorridos no dia de hoje. A investigação da morte do coronel Paulo Malhães precisa ser feita com muito rigor porque tudo a leva a crer que ele foi assassinado – disse Damous.

Maria do Rosário diz que morte de coronel é 'estranha'

A ex-ministra da Secretaria de Direitos Humanos Presidência da República Maria do Rosário usou o Twitter para comentar a morte do coronel Paulo Malhães. A ex-ministra, que atualmente é deputada federal, admitiu estranhamento com a morte do coronel, que assumiu, em depoimento à Comissão Nacional da Verdade, ter participado de prisões e torturas durante a ditadura militar.

A deputada disse que vai acionar a atual titular da Secretaria de Direitos Humanos, Ideli Salvatti, e o ministro da Justiça, José Eduardo Cardozo, para pedir o apoio da Polícia Federal na investigação.

– O depoimento do coronel Malhães revelou fatos sobre a morte e destino dos restos mortais do deputado Rubens Paiva, entre outros mortos pela ditadura. Soa estranho q após essas revelações o militar tenha sido assassinato – escreveu Maria do Rosário.

Com informações do JORNAL ZERO HORA

PF apreende 100 kg de pasta de cocaína dentro de pick up em Aquiraz


Três pessoas foram detidas, mas não tiveram a identidade revelada.
Droga estava escondida na caçamba de uma camionete.

A Polícia Federal apreendeu na noite desta quinta-feira (24), aproximadamente 100 quilos de pasta base de cocaína. Segundo a polícia, a droga estava em um sítio no distrito da Prainha, no município de Aquiraz, (Região Metropolitana de Fortaleza).

A cocaína, conforme a polícia, estava escondida na caçamba de uma pick up com placas do Maranhão, distribuída em 103 pacotes. Três pessoas foram detidas, mas não tiveram a identidade revelada pela polícia. Um dos suspeitos é cearense.

A Polícia Federal também não divulgou de quais estados seriam os outros dois. Com eles, a polícia ainda encontrou duas balanças de precisão e uma máquina de contar dinheiro.


FONTE: G1 CEARÁ

Prisão de Prisco provocou o debate sobre o direito de greve dos PMs

A prisão do vereador soldado Prisco, na última sexta-feira (18-04), trouxe à tona o debate sobre o direito de greve dos policiais militares do Brasil. Isso porque a pedido do deputado federal Mendonça Prado e com a sugestão do deputado Federal Fernando Francischini, a Comissão de Segurança aprovou, na tarde de quarta-feira (23), uma audiência pública que discutirá aspectos legais da prisão de Prisco, abrangendo o debate para o direito de greve da categoria.

A data da audiência pública será divulgada nos próximos dias. O debate na Câmara dos Deputados, em Brasília, terá a fala, além dos deputados federais, do corpo jurídico da Associação dos Policiais e Bombeiros e de seus familiares do Estado da Bahia (Aspra), diretores da Entidade e toda a sociedade civil interessada.

“O mais importante agora é a soltura de Prisco, diretor da Associação Nacional dos Praças (Anaspra), que conseguiu a abertura da reflexão sobre as condições de trabalho dos policiais militares do Brasil”, afirmou o diretor da Regional Ilhéus, Augusto Júnior.

quinta-feira, 24 de abril de 2014

Sistema penitenciário do Ceará é um dos piores, diz comissão da OAB



Uma comissão da Ordem dos Advogados do Brasil visitou nesta quinta-feira (24) delegacias e constatou que o problema de superlotação persiste na Região Metropolitana de Fortaleza (RMF), mesmo após decisões judiciais determinarem a transferência de presos para presídios. Fortaleza é a primeira cidade fora de Brasília a receber a comissão nacional da OAB. Segundo o órgão, Fortaleza foi escolhida por ter um dos piores sistemas carcerários do país.


“Há um quadro evidente de superlotação de presos. Inúmeros motins já houve aqui nessa delegacia. Vamos fazer uma carta, vamos encaminhar às autoridades competentes para pedir mudanças”, diz o presidente da Comissão de Direito Penitenciário Márcio Vitor.


Segundo a comissão, atualmente há 745 presos em delegacias da Grande Fortaleza. Na Delegacia de Capturas, por exemplo, a capacidade máxima é de70 presos e nela há 105 presos. O titular da unidade cobra resultados que possam reduzir essa lotação.


“A Polícia Civil está precisando de ajuda porque ela está desempenhando um papel que não é dela. Ela está cuidando de presos. O nosso papel é investigar, fazer boas peças investigativas, inquérito policial, termos circunstanciais de ocorrência e não nos preocuparmos com presos”, diz Elzo Moreira, titular da Delegacia de Capturas.


Por conta da situação, o sindicato dos policiais civis estuda buscar apelo internacional. “Se o sindicato está preparando uma ação judicial na Corte Interamericana de Justiça. Nós vamos denunciar o estado Brasileiro por violação dos direitos humanos”, afirma o diretor do Sindicato dos Policiais Civis, Francisco Lucas de Oliveira.


A Secretaria da Justiça do Ceará informou que mais dois mil presos foram transferidos da Delegacia de Capturas para penitenciárias da Grande Fortaleza neste ano. Segundo a secretaria, até julho deste ano, o Centro de Triagem Criminológica de Caucaia deve estar em completa operação em julho com 400 vagas rotativas para presos das delegacias cearenses.


FONTE: G1 CEARA

Perfil das UPPs no Twitter é invadido e tem foto trocada pela do dançarino do ‘Esquenta’



O perfil das Unidades de Polícia Pacificadora (UPPs) no Twitter foi invadido, nesta quinta-feira. A foto principal foi substituída por uma do dançarino Douglas Rafael da Silva Pereira, o DG, de 26 anos, encontrado morto no Morro Pavão-Pavãozinho, em Copacabana, na Zona Sul do Rio. Uma das postagens, feita no fim da manhã desta quinta-feira, tem uma imagem da mãe de Rafael, Maria da Silva, segurando uma foto do rapaz, com a inscrição: “Não vai passar em branco”.

Em nota, a assessoria de imprensa das UPPs informou que o perfil já foi restabelecido. Leia a íntegra do informe:

"O perfil do Twitter das UPPs foi hackeado no fim da manhã desta quinta-feira (24/4). Minutos após a invasão foi dado início ao protocolo de retirada do perfil hackeado do Twitter. Simultaneamente, o escritório da empresa no Brasil foi oficialmente comunicado sobre o problema. Em menos de duas horas o perfil oficial das UPPs foi restabelecido na rede social."

FONTE: JORNAL EXTRA


Dupla assalta agência dos Correios de São Luís do Curu



Uma semana após o assalto à agência do Banco do Brasil em São Luís do Curu, dois homens armados invadiram a agência dos Correios da cidade que fica a 95,6 km de Fortaleza, na tarde desta quinta-feira, 24, e levaram R$ 2 mil.


Segundo o Comando de Policiamento do Interior (CPI), ninguém ficou ferido e a polícia está a procura da dupla que fugiu após a ação.


FONTE: CEARÁ AGORA

MARANGUAPE: Adolescentes são detidos com armas

detidosUma operação da Polícia Militar em combate ao tráfico e a criminalidade na região da Serra de Maranguape, resultou na apreensão de dois adolescentes que foram detidos com drogas e armas no bairro Planalto Cajueiro, localizado na Serra de Maranguape, Região Metropolitana de Fortaleza (RMF).
Com os jovens de 17 e 14 anos, foram apreendidas quatro armas: dois revólveres de calibre 38, uma espingarda adaptada para calibre 38 e outra de calibre 12, todos municiados. A apreensão dos jovens e do material foi realizada na tarde de ontem, por volta das 15h30.
Para checar a residência onde, um bando de, aproximadamente seis pessoas, estava escondido, uma patrulha do 14ªBPM, comandada pelo major Dirceu Rodrigues foi acionada. No momento do flagrante, antes que os policiais conseguissem ter acesso ao local, quatro pessoas saíram correndo em direção a um matagal situado nas proximidades na residência.
Drogas
Na casa onde os adolescentes se encontravam, além das quatro armas, havia crack e cocaína. Uma quantia de aproximadamente 900 gramas.
Segundo os policiais que participaram da operação, tudo indica que a droga ainda estava pura e que seria desdobrada e comercializada na região. Não se sabe se os fugitivos levaram drogas ou outras armas durante a fuga. Após apreender os jovens a Polícia permaneceu no local, realizando diligencias em busca dos outros quatro suspeitos.
A ação contou com a participação dos soldados Rodrigues, Braga, Leandro e o sargento Cavalcante do 14ªBPM.
Um dos adolescentes aprendidos já tinha sido internado em uma unidade para jovens infratores e responde por um ato infracional referente a tráfico de drogas. De acordo com o supervisor de Policiamento da Capital (CPC), major PM Teófilo Gomes, os dois adolescentes já são conhecidos na região e envolvidos com o tráfico. Os foram dois adolescentes encaminhados para a Delegacia Municipal de Maranguape onde foi lavrado o auto de apreensão em flagrante.